segunda-feira, 30 de junho de 2014

Palestra em Santa Maria, no dia 5 de julho, com certificação



O Grupo Kitanda (do Centro de Educação da UFSM) tem a grata satisfação de retransmitir o convite da TV SANTA MARIA e da LIVRARIA ATHENA para o ciclo de palestras "A DESCOLONIZAÇÃO DO SABER": 
Local: Livraria Athena (Rua Floriano Peixoto, 1112)
Data: 5 de julho de 2014
Horário: das 09h30min às 12h
Certificado: 5 horas (para quem confirmar presença pelo e-mail: smargumentos@gmail.com)
Inscrição: gratuita (Nome completo enviado para o e-mail supracitado)

- Palestra Valdo Barcelos: "Uma educação nos trópicos"
- Palestra Giovani Pasini "Navegar é preciso; descolonizar-se não é preciso".

Solicitamos auxílio na divulgação.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 27 de junho de 2014 - VIP - por Giovani Pasini

VIP


Seria bom se o mundo fosse feito de poesia. As entrelinhas de um poema possuem a beleza que alimenta a alma. Comida enche o estômago e, algumas, ainda entopem as artérias. Poesia ilumina o espírito. Seria bom se o mundo fosse poesia, mas não é. O mundo é prosa, com todos os detalhes bem definidos, tim-tim por tim-tim. Surgem, então, as seguintes perguntas: o que leva diversas pessoas a ocuparem somente o local VIP, mesmo numa festa onde isso não está previsto? O que leva alguns indivíduos a se acotovelarem, num local apertado, mesmo estando vazia a pista num degrau abaixo? Quem é leitor assíduo ou psicólogo, responderá que Freud explica. A famosa necessidade humana de se sentir grande, bem sucedido. Acho que não é só isso. Gostamos de (a)parecer – o ‘curtir’ do facebook – mas também adoramos a mordomia. Infelizmente o brasileiro, na maioria, ainda é assim; adora que lhe puxem o saco. Cultuamos o corpo, as roupas, os carros, a bebida alcoólica, a sexualidade fácil, o famoso jeitinho brasileiro, o ‘atalhar’ para conquistar as coisas. Não sou negativista, temos muitas coisas de bom. Mas o sentimento tupiniquim de que apenas os VIP (very important people) são felizes, essa é a mais pura confirmação de nossa baixa autoestima e ignorância. Da grotesca necessidade de sermos bajulados, ou de bajular. “Complexo de vira-lata”, de Nelson Rodrigues: adoramos o estrangeiro; admiramos o pátio dos vizinhos; endeusamos os jogadores de futebol e cantores famosos. Nós, brasileiros, ainda somos ridiculamente ‘adjetivados’ e ‘adjetivadores’.  Por isso boa parte dos políticos, representatividade do povo, é corrompida e se corrompe facilmente. Está discordando de mim? Que bom, talvez você já tenha escapado do mundo-prosa. Ou, talvez, apenas seja mais um dos milhares de fracassados, que também podem ser VIP.

terça-feira, 24 de junho de 2014

7º Programa Argumentos - Posse de Haydée Hostin Lima e Carlos Omar Villela Gomes na Academia Santa-Mariense de Letras


TEMA DO PROGRAMA: Posse na Academia Santa-Mariense de Letras, dos novos integrantes HAYDÉE HOSTIN LIMA e CARLOS OMAR VILLELA GOMES.

Local: Biblioteca Henrique Bastide - Santa Maria, RS.
Data: 10 de junho de 2014

Literatura Infantil em debate no programa Santa Maria: Argumentos





Participe do programa Santa Maria Argumentos!
PAUTA: Literatura Infantil
Poste como comentário do blog, ou envie e-mail para smargumentos@gmail.com



Nessa semana o programa Santa Maria: Argumentos debaterá Literatura Infantil.

Teremos a presença de João Marcos Adede Castro, Presidente da Academia Santa-Mariense de Letras, que apresentará informações sobre o IV CONCURSO DE LITERATURA INFANTIL IGNEZ SOFIA VARGAS. (Para autores que nunca publicaram em Literatura Infantil).

Para informações e regulamento:

Lucas Vicentini - vencedor da 3ª edição


segunda-feira, 23 de junho de 2014

Curso de Oratória em Santa Maria - para quem desejar fazer.



Após acerto com a FOCO MULTICURSOS, de Santa Maria, aceitei a responsabilidade de ministrar um CURSO INTENSIVO DE ORATÓRIA PARA PROFISSIONAIS.

O Curso ocorrerá a partir do dia 22 de julho de 2014, uma terça-feira, e será destinado para os profissionais das mais diversas áreas que lidam com o público.

Haverá prática em todas as aulas.

Será fornecido material didático.

O participante receberá um certificado de 40 horas.

Estou montando um curso com bastante carinho e dedicação.

Quem quiser participar, entre em contato com a FOCO:
Telefone: 55 3027 - 5011
ou pelo site: CLIQUE AQUI.

Santa Maria terá debate sobre "A descolonização do saber" - promoção TV Santa Maria e Livraria Athena


Valdo Barcelos (vermelho)  - Giovani Pasini (azul)


Convite para uma manhã de debates promovida pela TV Santa Maria e pela Livraria Athena.

Local: Livraria Athena - Santa Maria, RS
Data: 5 de julho (sábado)
Horário: 09h30min
Debatedores: Valdo Barcelos e eu (Giovani Pasini)
Vagas limitadas (inscrição gratuita) 
reserva pelo e-mail: smargumentos@gmail.com

Os ouvintes receberão um certificado de participação.

Assunto legal. Vale a pena!

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Artigo 002 da Revista Beebop - Crônicas antropofágicas - Seleção das espécies


Crônicas ANTROPOFÁGICAS
por Giovani Pasini

Seleção das espécies

Ser inteligente é ser seletivo. Usar a inteligência é saber dizer ‘não’, deixando de aceitar tudo, em cima dos ombros. O grito de independência começa com as palavras faladas, não com as ouvidas.
O maior problema, no século XXI, é que as redes sociais nos tornaram abrangentes demais; enfiados demais; curiosos demais. Deixamos de viver a individualidade, aquela que nos tornava únicos, e passamos a compartilhar clichês e frases feitas. Não somos tão bons assim; na verdade, nunca fomos. Enaltecer um passado que não mais existe - seria uma tolice - pois hoje estamos globalizados. Contudo, perdemos a lentidão dos momentos: esquecemos a leitura na sombra do silêncio; abandonamos os passeios no campo; nunca mais comemos frutas direto da árvore; pescar? Trilhas às margens dos rios? Subir e descer colinas? Nada. Nada. Nada. A felicidade é medida pelo número de curtidas. Parecer é bem melhor do que ser.
Globalizar não pode se tornar uma limitação para a nossa personalidade. Não podemos ter uma vivência tão rasa, tão rasteira, que se torna apenas a contagem de compartilhamentos de pensamentos de outrem. Precisamos da poesia (quase) original; da explosão do ideal (quase) inédito; da paixão (quase) incomum. A originalidade, caro leitor, está na forma como montamos o “quebra-cabeça”, a “colcha de retalhos”, de nossa psique. Não existe o super-homem ou a supermulher: querendo ou não, sabendo ou ignorando, nós sempre teremos muitas qualidades e vários defeitos.
Ser inteligente é ser seletivo. Usar a inteligência é saber dizer ‘não’. Deixar de: fazer por fazer, malfazer, ver, rever, subir, descer. Materialismo, ostentação? Deixar de invejar o “parecer” e todos os verbos que praticam o “quase-ter”. Não somos perfeitos, já brigamos muito. Alguns dos combates, ideológicos, fazem parte do orgulho de nossa convicção. Falar mal, todavia, não deve ser um esporte macabro. Torna-se sabedoria compreender as discussões como parte do existir; as mágoas como elementos do coexistir; as vitórias, as derrotas, como consequências do resistir (pelejar, sobreviver).

A individualidade passa por cuidar da própria vida, dos limites da família, das interferências dos verdadeiros amigos e, principalmente, do domínio da arte de dizer ‘não’. Adicionar(-te) ou não? A vida é seleção.

Artigo 001 da Revista BEEBOP - Crônicas antropofágicas - Relações Humanas


Crônicas ANTROPOFÁGICAS
por Giovani Pasini

Relações Humanas

Primeiramente, gostaria de agradecer o afável convite, da Revista Beebop, para ser colunista do periódico. Obrigado pela confiança e por mais essa oportunidade de fazer literatura.
A “Antropofagia Cultural”, inspiração dessa coluna, que tratará de temas diversos, surgiu a partir do Manifesto Antropófago, lançado por Oswald de Andrade, em 1928. Era o auge da 1ª Geração Modernista brasileira.
Em resumo, “antropofagia” significa comer carne humana (antropo = humano; fagia = comer). Na sua origem, era um ritual onde o indígena ‘deglutia’ os grandes heróis inimigos; aqueles que haviam combatido da melhor forma. O índio, ao participar desse rito espiritual, incorporava o que havia de bom do outro.
Nas diversas crônicas que publicarei nesse espaço, pretendo comparar o ‘ato de comer carne humana’ com as ‘relações humanas diárias’, muito por influência dos debates no Grupo Kitanda, da UFSM, coordenado pelo Professor Doutor Valdo Barcelos.
A realidade é que não somos ‘nós mesmos’, em boa parte da personalidade. Talvez, quem sabe, tenhamos 2% de originalidade. Esse pequeno percentual é que nos torna únicos no mundo. Entretanto, as nossas condutas, na maioria, fazem parte de uma colcha de retalhos: pedaços da família, escola, religião, amigos, face, entre outros. ‘Mastigamos’ os comportamentos dos outros e reprisamos. Algumas vezes fazemos isso sem pensar, outras não.
Nos atos diários, o que é realmente seu? Você acredita mesmo em Deus? Gosta dessa roupa que está vestindo? Escuta, assiste e lê aquilo que deseja? Não sabe como fugir da relação amorosa? Sorri com vontade, ou para ser educado? Por quê?
A vida não é fácil, mas é única. Ela passa rápido.
Quase aos 40 anos, chego à seguinte conclusão: ser inteligente é ser seletivo. Usar a inteligência, também é saber dizer ‘não’, deixando de aceitar tudo, em cima dos ombros. O grito de independência começa com palavras faladas.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

Casa do Poeta de Santa de Maria (CAPOSM) - tem nova diretoria

A Casa do Poeta de Santa Maria (CAPOSM) elegeu uma nova diretoria, para o biênio 2014 - 2015. A CAPOSM passa a ser presidida pela escritora  Denise Reis, que já passou por duas diretorias, sendo a tesoureira da última gestão, que era presidida pelo amigo Auri Sudati.

A Vice-presidência passa para a escritora Haydée Hostin Lima.

Fui convidado para assumir o cargo no Departamento Editorial da CAPOSM e aceitei, com muito orgulho.

O jantar de posse, que também marca os 12 anos da CAPOSM, será no dia 21 de junho de 2014, às 20 horas, no Restaurante Augusto, em Santa Maria.

Parte dos integrantes da CAPOSM que estavam na Assembleia Geral



segunda-feira, 16 de junho de 2014

Debate promovido pela TV Santa Maria e Livraria Athena - Participe!




Convite para uma manhã de debates promovida pela TV Santa Maria e pela Livraria Athena.

Local: Livraria Athena - Santa Maria, RS
Data: 5 de julho (sábado)
Horário: 09h30min
Debatedores: Valdo Barcelos e eu (Giovani Pasini)
Vagas limitadas (inscrição gratuita) - reserva pelo e-mail: smargumentos@gmail.com
Os ouvintes receberão um certificado.

Assunto legal. Vale a pena!



Convite recebido - Presidente da Academia Rio-Grandense de Letras



EXMO. SR. 
  EM ANEXO, ENVIAMOS CONVITE PARA A CONFERÊNCIA MAGNA, DIA 03.07.2014, ÀS 18:00 HS, NO PALÁCIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO, NO AUDITÓRIO DO 3º ANDAR– FORTE APACHE – DO MINISTRO JORGE REINALDO VANOSSI – DA ARGENTINA – VICE-PRESIDENTE DA ACADEMIA DE CIÊNCIAS MORAIS DAQUELE PAÍS – QUE FALARÁ SOBRE A TEMÁTICA DA “LIBERDADE DE EXPRESSÃO E SEUS ASPECTOS ATUAIS”.    ATENÇÃO:   TELEFONE RSVP NO TEXTO DO CONVITE

EDUARDO DE LIMA VEIGA
PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA RS


PROF. SÉRGIO AUGUSTO PEREIRA DE BORJA
PRESIDENTE DA ACADEMIA RIO-GRANDENSE DE LETRAS


CURRICULUM VITAE DO MINISTRO JORGE REINALDO VANOSSI

JORGE REINALDO VANOSSI

-          Nació en la Ciudad de Buenos Aires el 28 de Agosto de 1939.
-          Se graduó de Abogado en la Universidad de Buenos Aires, con “Diploma de Honor”.
-          A los veintitrés años de edad se desempeñó como Secretario Letrado de la Corte Suprema, el más joven hasta entonces.
-          Doctorado en la Universidad de Buenos Aires (UBA), con tesis que recibió el “Premio Facultad”.
-          Doctorado en las Universidades Nacionales de La Plata y del Litoral, con mención “Sobresaliente”.
-          Doctor “Honoris Causa” de la Universidad del Salvador; de la Universidad Católica de Salta en las que dicta cursos de postgrado y de “educación a distancia”;  de la Universidad San Pablo-T. ; y de la Universidad Católica de Cuyo. Profesor Honorario Visitante de la Universidad Tecnológica del Perú (Lima).
-          Fue Profesor Titular de Derecho Constitucional y Político en las Universidades Nacionales de Buenos Aires y La Plata, y  Director del Instituto en la segunda.
-          “Profesor Honorario” de la Universidad Nacional de La Plata, máxima distinción que concede esa universidad.
-          Autor de 17 libros y 300 ensayos y artículos sobre temas de derecho público.
-          Miembro fundador y Vicepresidente hasta hoy del Instituto Iberoamericano de Derecho Constitucional.
-          Fue presidente de la Asociación Argentina de Derecho Comparado, de la Sociedad Científica Argentina, de la Federación Argentina de Colegios de Abogados y de la Federación Interamericana de Abogados (en Washington).
-          Ministro de Justicia y Derechos Humanos de la Nación (2002).
-          Cuatro veces Diputado Nacional y dos veces Vicepresidente de esa Cámara, recibió el Premio Konex de Platino.
-          Integró y presidió el Comité Jurídico Interamericano, órgano de la OEA, en Río de Janeiro.
-          Académico Titular y tres veces Presidente de la Academia Nacional de Ciencias Morales y Políticas.
-          Actual Vicepresidente de la Academia Nacional de Derecho y Ciencias Sociales de Buenos Aires. Es también Académico de Número de la Academia Nacional de Ciencias de Buenos Aires y de la Academia Nacional de Educación; y de las Reales Academias españolas de Legislación y Jurisprudencia, y de Ciencias Morales y Políticas; y miembro de la Academia Internacional de Derecho Comparado con sede en La Haya.
-          “Conjuez” de la Corte Suprema de Justicia de la Nación.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

O maior juiz é o caráter...


Todos estão falando do erro do juiz Yuichi Nishimura, que apitou o pênalti no Fred.


Vejo poucos falando mal da atitude do Fred, enganando a arbitragem, numa clara mostra de falha no caráter.

A corrupção - e todas as nossas patologias - começam pelo "jeitinho brasileiro".

6º Programa Argumentos: Diálogos Culturais (Tema - Literatura Infantil) - com Auri Sudati e Onilse Pozzobon


TEMA DO PROGRAMA: A importância da literatura infantil no processo de formação do cidadão.

PARTICIPANTES:
- AURI SUDATI – Escritor de literatura infantil, presidente da Casa do Poeta de Santa Maria e integrante da Academia Santa-Mariense de Letras.
- ONILSE NOAL POZZOBON – Escritora de literatura infantil, integrante do departamento de eventos da Casa do Poeta de Santa Maria e membro efetivo da Academia Santa-Mariense de Letras.

Artigo para o FERNANDÃO...

Fernandão

Escrevo este artigo sem ter lido sobre o assunto. Resolvi não ler as matérias jornalísticas, apenas por opção. Não queria deixar “cair a ficha”. Obviamente, caro leitor, se você não gosta de futebol, também não dará importância para essas linhas. A nossa vida já está cheia de problemas, por que pensar em mais? Portanto, escrevo para os torcedores futebolísticos, especialmente para colorados e gremistas. A verdade é que essa imagem do Fernandão, de junho de 2014, não me importa. O tempo passa tão rápido que os olhos e a mente não acompanham o envelhecer da pele. Somos o que olhamos e o que sentimos; não envelhecemos no espírito. Como torcedor colorado, quando se fala nesse time, algumas representações voltam à minha mente: o meu velho e finado pai, tão vermelho quanto o próprio time; o goleiro Manga e o que apenas ouvi falar do Falcão; o Taffarel e as belas defesas no colorado e na seleção brasileira. Entretanto, a lembrança mais forte, a que ainda está clara, como se fosse ontem; a mais importante, gira em torno da figura do Fernandão e dos títulos da Libertadores e do Mundial de Clubes, em 2006. A recordação nítida não tem nada a ver com o pouco espaço temporal entre a conquista e o hoje. Falo do orgulho, da melhoria da autoestima, da inclusão do Internacional na galeria dos grandes times do mundo. Se você é contrário ao futebol, ou não se liga, parecerá bobagem. Contudo, para nós - torcedores de cadeira - regulares nas atitudes, mas apaixonados pelo esporte, o Fernandão deu uma das alegrias para vivermos. Ele foi o líder que levou milhares de corações ao topo do mundo. Concorde ou não, eu passarei e você passará. O nome do capitão do Inter, de 2006, que ergueu três taças internacionais consecutivas, tornando um dos maiores times gaúchos o “campeão de tudo”, esse jamais será esquecido.

sábado, 7 de junho de 2014

5º Programa Santa Maria Argumentos: Diálogos Culturais


TEMA DO PROGRAMA: Inclusão social das pessoas com deficiência visual.

CONVIDADOS:
- MARCUS FONTANA -- Coordenador do Projeto Além da Visão -- UFSM.
- ANGELISE FAGUNDES -- Co-orientadora do Projeto Além da Visão -- UFFS.


Literatura feita por jovens brasileiros:
CONVIDADOS:
- MATHEUS DONAY -- Escritor e blogueiro.
- KAWANE MAYER -- Escritora e poeta.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 06 de junho de 2014 - Brasil: o país dos assassinatos - por Giovani Pasini

Brasil: o país dos assassinatos


É isso mesmo. Não somos o “país do carnaval” ou o “país do futebol”. O Brasil, aquele da ‘Ordem e Progresso’, é a nação dos homicídios. Além de dançar ou jogar bola, gostamos de morrer. Não nos importamos com o que acontece nas ruas, pois adquirimos o perfil de cordeiros assustados; ovelhas medrosas; coelhinhos saltitantes, fugindo de inúmeros predadores. Esse povo sou eu e, também, é você. Os números do Anuário Estatístico do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) afirmam que, em 2012, foram 50.108 assassinatos, incluindo homicídios dolosos (47.136), latrocínios (1.810) e lesão corporal seguida de morte (1.162). Houve um aumento de quase 10%, em relação a 2011. O Brasil deve se envergonhar do 7º lugar, no ranking dos países mais violentos do mundo. Para o leitor ter uma ideia, nesse país morre a população de uma cidade de Santiago por ano, apenas em assassinatos, sendo uma morte violenta a cada 10 minutos. Não adicionarei os números de falecimentos em acidentes de trânsito, por falta de espaço no artigo e por pena do leitor. Assistindo a TV Senado, fui alertado pelo discurso do Senador Mário Couto e corri atrás dos números. É tudo verdade: a segurança passa longe de nossa pátria. Sabíamos disso pelas imagens televisivas, pelo senso comum, mas os dados estatísticos demonstram, friamente, o quanto o nosso povo é alienado, ignorante e violento. A estupidez percorre todas as classes sociais como uma epidemia. A vida humana perdeu a total importância, sendo descartada como um nada. Nada. Qual a saída? Pelo visto, ainda continua sendo colocar atrás das grades. As grades, cercas elétricas, câmeras, alarmes... Para a nossa residência. Presos numa sociedade insegura. Colocar-se atrás das grades! 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...