quarta-feira, 30 de abril de 2014

Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 25 de abril de 2014 - Maria Corseti - por Giovani Pasini

Maria Corseti


Maria Corseti é daquele tipo de pessoa que entusiasma o seu interlocutor. Tanto quanto o Sr. Jorge, do ponto de táxi da Rodoviária, ela conduz a sua atividade de trabalho de forma espontânea, com uma força de vontade que chega a alegrar os olhos e o coração. Conversei com a Dona Maria por alguns minutos, poucos talvez, em virtude da minha atribulada vida de professor militar. Contudo, ao experimentar o gosto de sua arte – uma bela refeição de gastronomia singular – percebi que a energia direcionada para coisas boas produz frutos únicos. Do fundo do pátio de minha casa, aqui em Santiago, eu percebia a Sra. Maria Corseti cozinhando com uma agilidade de 20 braços, concentrada no que fazia. Naquele momento, eu me perguntava como alguém poderia construir daquela forma, sem derrubar nada. Pensamento natural de quem é desligado, avoado e que usualmente esbarra em objetos. Melhor ainda, a Sra. Maria “deslizava” pelos utensílios com tamanha agilidade e, além disso, com efusiva alegria. Dom, só pode ser isso. Leonardo da Vinci deveria ser assim, penso eu, quando criava as coisas. Caro leitor, não tenho como fugir de teorizar um pouco: numa sociedade quase perdida, onde ‘ostentar’ se torna mais importante que ‘valorar’, ainda temos pessoas como Jorge e Maria. Indivíduos que vão na contramão das ‘pragas’ da história, que às vezes aparecem na televisão. Jorge e Maria, cidadãos que trabalham honestamente e representam a essência de nosso povo. Tive muito orgulho, uma honra, de apreciar os vários quitutes de uma senhora que conheci pouco.  Entretanto, mais do que a sua culinária, a Dona Maria Corseti renovou as minhas energias de pessoa que, mesmo não sabendo se está totalmente certa no mundo, sempre sonhará com um mundo certo. Ideologia é sangue. Vida é arte.  Dona Maria, competência é alma.

Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 18 Abr 2014 - 7 razões para a Secretaria de Cultura de Santiago - por Giovani Pasini

7 razões: Secretaria de Cultura

Resolvi apresentar 7 tópicos em defesa da criação da Secretaria Municipal de Cultura, os quais exponho a seguir:
1. A “educação” é o método como uma geração dialoga com a outra, enquanto a “cultura” é todo o conhecimento, arte, hábitos, costumes adquiridos pelo humano, de uma determinada sociedade; ou seja, são coisas diferentes.
2. Santiago já não é mais uma simples cidade, como outra qualquer do interior: ela se definiu como “Terra dos Poetas”.
3. Diversos municípios brasileiros já possuem Secretaria de Cultura independente, como Goiânia (GO), Campinas (SP) e a quase vizinha Santa Maria (RS).
4. Educação e cultura, dois assuntos importantes, de extrema carga de trabalho, não devem ficar centralizados numa única pasta. Um dos dois, naturalmente, será colocado para segundo plano (cultura).
5. As necessidades da educação são fortes, urgentes, notórias e dominam a atenção da secretaria. Já a cultura de Santiago - essa precisa de verbas próprias, de independência, para poder respirar sem aparelhos.

6. A cultura está mais ligada ao turismo, desportos ou lazer. Por exemplo, em Feira de Santana (BA), Chapecó (SC), existe a “Secretaria de Cultura, Desportos e Lazer”. Já em Bragança Paulista (SP), São João Del Rei (MG), temos a “Secretaria de Cultura e Turismo”; afinal, as obras construídas não auxiliam para o turismo?

Retorno do blog

Os leitores que acessam esse blog devem ter percebido que ele ficou desativado por um tempo.

Eu estava com dificuldades de SENHA e LOGIN, visto que não lembrava nem qual era o login e senha de administrador do google.

Só consegui fazer uma nova senha depois de bastante tempo, após inúmeros e-mails e, para falar a verdade, só resolvi com ligações telefônicas.

Agora estamos de volta...

Aleluia!

sábado, 12 de abril de 2014

Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 12 de abril de 2014 - Secretaria de Cultura de Santiago - por Giovani Pasini

Secretaria de Cultura de Santiago


Terça passada, participei da abertura da campanha publicitária da 41ª Feira do Livro de Santa Maria, que ocorrerá entre 26 de abril e 11 de maio de 2014. Na manhã seguinte (quarta), tive uma reunião com a Secretária de Cultura de Santa Maria, a senhora Marília Chartune. Discutimos, sobre a realização do VIII Encontro de Escritores do MERCOSUL, previsto para 2 a 4 de maio, simultaneamente com a Feira.  A conversa trouxe a recordação da possível criação da Secretaria de Cultura, aqui em Santiago. Esse é um assunto relativamente antigo e importante: a concepção de tal secretaria já era debatida em ‘blogs’, no ano de 2009. Em 2013, o assunto foi discutido numa Semana Literária, da Casa do Poeta. Sabemos, também, que o governo municipal já possui um planejamento pronto para a implementação da pasta, organizado pela percepção visionária do Júlio Ruivo. Esse ano, 2014, seria interessante para efetivação do secretariado e, além disso, para a ocupação do local de funcionamento: a própria Estação do Conhecimento. Todos reconhecem a habilidade da professora Denise Cardoso (SMEC), assim como a competência do Rodrigo Neres (Dep. de Cultura). Entretanto, o cruzamento de educação e cultura, principalmente nos dias atuais, resulta numa sobrecarga de trabalho descomunal, além de direcionar a imensa maioria dos recursos para a educação. Santiago do Boqueirão, aquela dos “poetas quem são?”, necessita de uma Secretaria de Cultura. Que ela nasça em 2014, com a somatória (2+0+1+4 = 7), que é positiva. Cabalístico ou não, gostaríamos de ver o(a) Secretário(a) trabalhando, ainda esse ano, por nossa Santiago. No próximo artigo, talvez, darei 7 motivos para a homologação do referido projeto. Dividir para conquistar.

domingo, 6 de abril de 2014

Casa do Poeta Brasileiro - VIII Encontro de Escritores do MERCOSUL - no Jornal A CIDADE (04/04/2014) de Santa Maria, RS


VIII Encontro de Escritores do MERCOSUL no Jornal A RAZÃO (de 02 de abril de 2014)


Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 06 de abril de 2014 - Verossimilhança - por Giovani Pasini

Verossimilhança

Um homem sujo, de roupas podres e cheiro fétido mexe numa larga lixeira verde, postada numa grande avenida. Sua face esquálida, de peles flácidas, procura restos de comida. Os olhos limpos não percebem a imundície que o envolve: já está acostumado a isso. No rumo oposto, um homem limpo, de roupas novas e água-de-cheiro, passeia com o cachorro de raça. O rosto branco, de barba feita, assusta-se com a imagem e o odor agudo da figura esculachada. Seus olhos sujos, de burguês arrogante, também não percebem a imundície que o envolve, ao conduzir o pequeno canino. Semelhança diversificada em matéria e alma. A limpeza na sujeira e a imundície na higiene. Um pequeno retrato do mundo, no centro-oeste do Rio Grande do Sul. O primeiro, perdido na sua fome animalesca, não nota que a vida escorre a cada busca de sobras alimentícias. O outro, embaralhado entre cremes e ambição, não compreende que nada detém a marcha inexorável do tempo. Dois humanos que permanecem hipnotizados, numa sequência de fotografias visuais, alheios à efemeridade da existência. Imagens de nosso dia a dia, em espelhos e afinidades, que nos aproximam e, ao mesmo tempo, nos distanciam de todos indigentes. Parece-nos que não existe saída, num mundo egocêntrico: riqueza, pobreza e cemitérios. Contudo, caro leitor, a esperança é uma marca indelével, que não se pode apagar, do coração humano.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Entrevista para a TV Santa Maria - Parte 1 e 2 - sobre VIII Encontro de Escritores do MERCOSUL

A entrevista a seguir, foi realizada na TV Santa Maria, canal 19, sobre o V Congresso Internacional de Educação Intercultural e VIII Encontro de Escritores do MERCOSUL, que será realizado em Santa Maria, RS, nos dias 2 a 4 de maio de 2014.

Presentes na entrevista o Mosar Costa (Secretário Geral do CILAM) e Giovani Pasini (Diretor Cultural da Casa do Poeta Brasileiro).

Parte 1


Parte 2

Maiores informações pelo site www.escritoresdomercosul.org ou pelo e-mail: escritoresdomercosul@gmail.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...