sábado, 27 de outubro de 2012

Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 25 de Outubro 2012 - Pijamização - por Giovani Pasini


Pijamização

Semana passada o jornalista Xico Sá falou sobre o sintoma da “pijamização”, no programa Café Filosófico, da TV Cultura. Segundo ele, alguns homens ao se aposentar, tornam-se quase uns ogros. Realmente, alongando o assunto, a aposentadoria deve ser bem planejada, para que não interfira negativamente na própria vida. Antigamente, há cerca de três décadas, um indivíduo de 50 anos era considerado velho. Hoje, um cinquentão é um garotão. Portanto, essa coluna é uma lembrança aos que planejam a inatividade profissional para daqui há pouco. Cuidado para não ser atacado pela “pijamização”, ou seja: deixar as unhas e a barba crescer; andar de havaianas o dia todo; não trocar o pijama, nem para dar um pulo no mercado. Atenção! A síndrome do “pijama-compulsivo” sufoca os familiares e amigos, sendo usualmente acompanhada de cuecas sujas, dentes amarelados e, talvez, mau humor recorrente. Há, ainda, indícios de sinais da terrível “afundose-verticalis-de-poltrona”, uma epidemia muito comum em Brasília, DF. Outra peculariedade, dizem os especialistas, é a exaltação excessiva da própria virilidade, na mocidade, com o aumento (fictício) dos feitos do passado. Geralmente, essa moléstia acaba em birita, tonteira, pés-trocados, talvez confusão. Detalhe: tudo isso vestindo o pijama. Cabe ressaltar, que o “logo após” tantos anos de trabalho pode até ser um descanso. Descanso, descanso... Cansa! Enfim, que a gente coloque alguns objetivos – outro emprego, lazer, turismo, ou mesmo incomodar a mulher – para evitar a terrível contaminação. Abaixo a “pijamização”! Você que foi engolido por ela: escape, fuja, corra! (PS: sem o pijama).      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por deixar o seu comentário neste blog.
Agradeço o tempo investido nesta comunicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...