domingo, 28 de agosto de 2011

(Ensaio) Autoanálise, outras dimensões, sonhos, família e ambições - reflexos de Santiago e Santa Maria

São 9 horas da manhã, deste domingo.
Acabo de acordar. Nessa noite tive um sonho com meu finado pai, Acir Pasini.
No sonho, ficamos conversando por bastante tempo...
Essa postagem será um pouco longa, mas totalmente sincera.
===
Esse ensaio surge como uma autoanálise, feita no próprio sonho, que não tem medo de ser exposta, pela transparência de uma alma.
===
Sempre acreditei em Deus e na essência. Andei pelas três religiões mais comuns (católico, evangélico e espírita), nesta sequência. Uma surgiu como solução para a outra, nas dúvidas dos dogmas intransponíveis e na busca da solução das dúvidas ontológicas. Fiz, então, um curso de Gnose e me transformei em gnóstico.
A Gnose respondeu alguns questionamentos, principalmente no fato de eu crer em outras dimensões e no fato de energias superiores. Contudo, apesar de ser o "conjunto de regras" com maior afinidade, distanciei-me, por ser mais uma limitação para o infinitos.
===
Toda escolha pressupõe uma seleção e, portanto, um abandono de caminhos. Pensando assim, passei a tentar enxergar somente as coisas boas que cada uma delas (e todas as outras filosofias e religiões) possuíam. Tornei-me, então, um fiel a Deus; abandonei todas as religiões e prossegui pesquisando Deus. Aproximei-me de crenças orientais, onde a energia vital é a que conta, quando realizei vários cursos de Reiki.
===
Quando mais eu estudava (e estudo) sobre todas as coisas, mais a razão tentava me afastar de Deus, com as dúvidas pairando sobre o ateísmo. Contudo, dentro de minha alma, um fogo sempre me puxa a pensar na existência de algo superior, maior que o humano. A própria filosofia explica essas minhas dúvidas. Entretanto, tendo a concordar com o Pondé (filósofo brasileiro), de que Deus existe e que o acaso não tem o poder de criar nada, apenas causar choques e acidentes.
Conclusão parcial número 1: passei a estudar tudo o que podia, para encontrar com Deus e solucionar algumas dúvidas ontológicas (De onde viemos? Para onde vamos?), com uma voracidade fantástica.
===
Paralelo a isso, desde os 12 anos (no caderno de redação); e dos 13, quando meu pai pagou um curso de datilografia no SENAC, em Porto Alegre, passei a nutrir o desejo de ser um escritor, que fosse reconhecido por suas letras.
Os humanos confundem, muito bem, os sonhos e as ambições. 
Hoje, vejo que ganhei desafetos por esse sonho.
Escrever, para mim, é um sonho. A fuga da realidade e tudo mais que a literatura proporciona.
Só que - pensava (e penso) - para se escrever bem, tem que estudar muito. Junto com isso, é necessário desenvolver o "dom", a união com a Essência. 
Já havia me formado na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), quando surgiu um forte desejo de descobrir os segredos do conhecimento.
Por incrível que pareça, passei a frequentar seminários, cursos, congressos, fóruns (etc.) por vontade de aprender e adquirir sabedorias. Realizei um Mestrado em Educação, área que mais simpatizei, por tratar do próprio ser humano. Fiz uma faculdade de Letras, para aprender um pouco mais da gramática, o meu "calcanhar de Aquiles", e subdivisão que tenho me dedicado para melhorar. A dificuldade surge no fato de que a gramática é "armazenada" pela inteligência matemática, disciplina que tenho enormes falhas.
Inúmeras vezes pensei: "Deus, faça-me adquirir um pouco mais de sabedoria...".
O prazer em debater o conhecimento - repensar a própria vida - transformou-me num militar que também é professor.
Conclusão parcial número 2: passei a estudar tudo o que podia, para encontrar o caminho da sabedoria e escrever algo que agradasse o meu leitor.
===
No meu sonho, com meu pai (ou minha consciência, como queira), conversamos sobre tudo isso e muito mais.
===
A autoanálise surge no momento em que se pensa a própria vida. 
Agora surge a minha autoanálise:
1. Tenho uma família fabulosa, com uma esposa que me apoia (base para tudo) e dois filhos que alegram os momentos de lazer.
2. Tenho uma profissão que me faz feliz - o Exército Brasileiro - onde estou me sentindo completo, pois estou atuando como professor, no Colégio Militar de Santa Maria.
3. Sou uma pessoa feliz - vivo feliz, gosto de meu corpo, gosto de minha mente.
4. Então, por qual motivo ficar "buscando, buscando, buscando..." sempre mais conhecimento, se a vida é agora?
5. Por qual motivo, deixar que os outros interfiram na minha vida (que é particular) por acharem que os meus sonhos podem não ser sonhos?
6. Por que não abandonar todas as atividades extras; todos os trabalhos que envolvem o tempo pessoal; todas aquelas coisas que você acredita, mas que sempre passa pelo julgamento dos outros?

Abrir caminhos pelo milharal, com foices e facões, leva até um momento:  de repente você se vê no meio de um milharal gigantesco, sem fim, e só tem o caminho de volta. O jeito é sentar, descansar, e comer alguns milhos. Depois?
Sei lá. Talvez continuar a derrubar a colheita, ou quem sabe voltar?

Todo guerreiro cansa. 
Essa é uma verdade...

Não é uma vergonha, mas uma constatação. Neste momento, estou cansado. Na verdade, continuo estudando. Ainda acredito em Deus. Persiste a vontade de ser um escritor. Amo a minha profissão e família.

Sempre me desdobrei para atender a tudo isso, sem causar traumas.
Chega um momento na vida, que você tem que desacelerar. Senão o "coração" não aguenta...

Talvez eu tenha que mudar a ordem das prioridades.
Os sonhos devem ter uma importância menor que a realidade?
A eterna dúvida: o amanhã ou o presente?

Tenho medo de começar a gostar mais de Santa Maria...

Bom, por enquanto, o sonho com meu pai me fez sentar no meio de um milharal. A reflexão e o descanso do guerreiro.

Ah! Não esqueça, caro leitor, que os defeitos também demarcam a nossa personalidade. As qualidades possuem apenas parte da responsabilidade dessa "formatação".
===
As lágrimas são de água e sal, por qual motivo não ardem nossos olhos como a água salgada? Os sonhos (árduas lágrimas) vem de dentro, uma motivação. A ambição (sal de análises e julgamentos alheios) vem de fora, uma invasão.

Um comentário:

  1. "Tua alma fala por mim", impressionante hj pela manhã essa frase me acompanhava, dedico ela à vc, com esse texto que amei,pela essência,clareza e emoção, bj:)

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar o seu comentário neste blog.
Agradeço o tempo investido nesta comunicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...