domingo, 31 de janeiro de 2010

Santa Maria, RS - Colégio Militar


Talvez eu passe algum tempo sem postar no blog, pois estou de mudança para Santa Maria, onde irei trabalhar no Colégio Militar, na Seção Técnica de Ensino e como professor substituto de Literatura.
===
Voltar a trabalhar na área da educação está me motivando muito. Esse ano promete!
===
Como disse o Márcio Brasil "Santa Maria é a maior vila de Santiago..."
===
Não perderei o contato com a nossa terrinha, pois pretendo estar quase todos os finais de semana em Santiago.
===
Pretendo voltar o mais rápido possível para a blogosfera...
Grande abraço

sábado, 30 de janeiro de 2010

Educação, cultura, experiência e felicidade.

Foto: meu pai no batismo "caseiro" de minha filha


- Escrito em homenagem a Acir José Pasini -


O meu pai sempre foi a minha fortaleza. Juntos – éramos imbatíveis e intocáveis – um pelo outro. O mundo poderia cair a nossa volta, nada nos atingiria.

A partir do dia 20 de abril de 2009, data de seu falecimento, passei a ver os meus filhos de forma diferente. Vou falar algo “excludente”, mas intencional: só sabe o que é ter filho, quem tem; e não basta tê-lo, deve-se amá-lo. Enfim, após o luto que passei(o), resolvi assumir cada vez mais o papel de “fortaleza” para os meus filhos Eduardo e Amanda. Estou com eles, para o que “der e vier”...

Falar de EDUCAÇÃO é muito difícil, pois cometemos muitos erros. O professor Reuven Feurstein afirmou que “Educação é o que fica, quando todo o resto for esquecido.” Concordo com ele. Julgo, principalmente, que ser educado é saber respeitar os limites, as crenças e os valores alheios (honestidade é um exemplo de valor). É saber escolher o que se quer ler, falar, ouvir e sentir. Sim! Ser educado, além de tudo, é assumir o domínio de suas escolhas e tentar (ao máximo) não interferir ofensivamente nas decisões alheias.

A CULTURA é o reflexo dos costumes de um povo. Ela está associada ao ser humano, independentemente de qualquer grau de estudo. É acumulada pelos hábitos (bons ou ruins) individuais e coletivos, que passam a fazer parte do senso comum, praticados pelos iguais. Exemplo: o combate dos gladiadores fazia parte da cultura romana.

EXPERIÊNCIA é uma coisa que se adquire com o tempo, obtendo conhecimentos, acertando e errando. VIDA é algo que temos em qualquer idade ou momento.

Às vezes.

Eu posso dizer que tenho FELICIDADE e ela reside, principalmente, no sorriso de meus filhos. Eles são a minha fortaleza e o meu refúgio. A paz que eu gosto de ter, mesmo que seja em silêncio, num companheirismo mudo. Eles são o prolongamento de meus pais e os pais de meus futuros filhos (netos).

Todo o resto é poeira. Pó, apenas pó.

Basta bater levemente com a mão, que some do nosso casaco.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Rotação Literária tem novo Blog!


O brilhante espaço do Jornal Expresso Ilustrado, que foi criado pelo jornalista e escritor Márcio Brasil, denominado "Rotação Literária", agora se encontra como um blog.

No blog o leitor encontrará diversos tipos de textos, catalogados por nome de autores. Uma ótima forma de adquirir conhecimento.

A "Rotação Literária" será a próxima obra a ser lançada pela Casa do Poeta de Santiago, como antologia de textos, ainda neste ano.

Aproveite os textos!

Visite:
http://rotacaoliteraria.blogspot.com/

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Artigo - A Honra e o Patriotismo


Existem duas qualidades no caráter do ser humano que sempre devemos pensar, falar e escrever: a honra e o patriotismo.

A primeira é fruto de uma forte educação familiar, pautada nos exemplos e nas ações dignas realizadas pela família, principalmente quando é demonstrada pelos pais. A escola, com as atitudes dos professores e colegas, pode apenas reforçar o que surgiu como um pilar perene, na formação inicial da personalidade do indivíduo.

A segunda qualidade, o patriotismo, só ocorrerá enquanto houver a primeira. Não existe amor à pátria, se não estiverem inerentes a conduta pessoal, aspectos como a probidade e o decoro. Amar o Brasil não deve ocorrer somente quando há a copa do mundo de futebol e, sim, uma hombridade constante.

O que causa uma mácula no senso comum, ou seja, no inconsciente coletivo do brasileiro, com efeitos negativos avassaladores para o contexto familiar e social, é a sensação de impunidade causada pela extensa difusão na mídia, de condutas irregulares que não são punidas.

O grande problema é exatamente esse: a crise de identidade criada pelo efeito “Pizza”, conseqüência perigosa, instituída por parte da população, geralmente alguns representantes políticos, que não respeitam a igualdade prevista na Constituição Federal de nosso país.

Nos poucos anos de vida que eu tenho, aprendi algo: é um erro generalizar qualquer coisa. Entretanto, quando o silêncio inocente perdura, ante a opressão televisiva e quando não observamos uma reação coletiva à improbidade, ficamos preocupados com o futuro de nossos filhos e somos saudosos da época de nossos pais.

Enfim, esqueça desse assunto. Dizem que é isso que o povo costuma fazer. Afinal, existem outras preocupações, coisas mais importantes. Durma tranquilo, sabendo que o seu filho não irá matá-lo por causa de uma simples (e finita) herança. Será?

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Artigo do Expresso Ilustrado - 22 Jan 10 - O Expresso da Cultura



No final da década de 90, o vereador Nelson Abreu conseguia a aprovação da Lei Municipal “Terra dos Poetas”, para Santiago. Em 2008, tivemos a aprovação da Lei Estadual, com o mesmo epíteto. Há algum tempo, a professora Rosane Vontobel desencadeou o projeto da URI, “Santiago do Boqueirão: seus poetas quem são?”. Essas propostas lançaram bases novas, mas sólidas, para a edificação moral de um “orgulho” regional. Entretanto, o maior avanço ocorreu quando alteramos conceitos negativos, rimas indesejáveis, que eram lançados sobre o nosso povo. Isso mudou e os dois nomes supracitados já estão arraigados à nossa história. A partir de hoje, 22 de janeiro de 2010, o município dará mais um passo rumo à solidificação de seu codinome. Paralelamente à Copa Santiago de Futebol estará ocorrendo o I Fórum Latino-Americano de Literatura e o II Encontro de Escritores do MERCOSUL, evento organizado pela Casa do Poeta. Mais uma oportunidade de adquirir conhecimentos com escritores de outros estados e países. A educação e a cultura – início e sustentação de qualquer sociedade – não devem ser apenas cobradas, mas construídas. A maior aprendizagem ocorre quando queremos aprender e buscamos “mudar o mundo”. Portanto, iniciemos pela família, influenciando o nosso bairro. Vamos desenvolver, de alguma forma, a leitura e a escrita. Sejamos construtivos! Só assim é que Santiago fará andar mais rápido, a todo vapor, o Expresso da cultura.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

I Fórum Latino-Americano foi um sucesso!

Público fantástico

O I Fórum Latino-Americano de Literatura / II Encontro de Escritores do MERCOSUL ocorrido em Santiago, RS, nos dias 22 a 24 de janeiro de 2010 e organizado pela Casa do Poeta foi um sucesso. O auditório da Câmara dos Vereadores ficou lotado e a aprendizagem foi incrível.

Nova Diretoria

Agradecemos a todos os parceiros e, em especial, à Prefeitura Municipal, Câmara dos Vereadores e ao Exército Brasileiro.
Foto histórica!

Quem quiser observar as fotos do evento é só acessar o site: http://www.beebop.com.br/ e conferir.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Lançamento de mais um livro em Santiago

Estarei lançando o livro "A Espiral e o Caracol" pela Editora da Casa do Poeta de Santiago nexta sexta, 22 de janeiro de 2010, às 19h00min, no I Fórum Latino-Americano de Literatura, na Câmara dos Vereadores. O livro possui 215 páginas e será vendido a R$ 15,00 (quinze) reais.

Estão todos convidados!

Lance o seu livro com um preço de custo baixo, pela Editora da Casa do Poeta de Santiago!
Entre em contato pelo email: casadopoetadesantiago@ig.com.br

Lançamento da Antologia da Casa do Poeta

A Editora da Casa do Poeta de Santiago estará lançando a sua primeira antologia nexta sexta, 22 de janeiro de 2010, às 19h00min, no I Fórum Latino-Americano de Literatura, na Câmara dos Vereadores. O livro possui 67 páginase será vendido a R$ 10,00 (dez) reais.


Lance o seu livro com um preço de custo baixo, pela Editora da Casa do Poeta de Santiago!
Entre em contato pelo email: casadopoetadesantiago@ig.com.br

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Cronograma do Fórum Latino-Americano de Literatura

Ainda restam algumas poucas vagas. Faça a sua inscrição!
Informações no site: www.casadopoetadesantiago.com.brou no forumdeliteratura.blogspot.com

Artigo do Expresso Ilustrado - 15 Jan 10 - Cavalo velho e a galinha nova



Andando pela Rua dos Poetas, tive a felicidade de ouvir um ditado gauchesco. Um senhor de idade, de mãos dadas com a esposa, falou a seguinte frase: “Cavalo velho ainda se assusta com galinha nova!”. Sem ouvir a sua explicação sobre o moral da história, tive a ousadia de fazer a minha dedução. “Uma pessoa experiente ainda se assusta com as peripécias da juventude”. Os jovens possuem a força do agir; a atuação impulsiva e o posterior pensamento. Algumas vezes assustam pelo temperamento. Já os idosos carregam a sabedoria da vida; a bagagem de uma existência; a serenidade da reflexão e os conselhos sensatos. O cavalo velho caminha tranquilo, enquanto a galinha nova dá vários pulos e sustos! A diferença incrível é que nós humanos transitamos entre as duas formas sem perceber. Se bem que todos nós conhecemos “alazões idosos”, que desmentem qualquer indicativo de idade. Julgo que os anos deveriam ser medidos pelo olhar. Isso mesmo, os olhos é que teriam que marcar a velhice ou a juventude. Existe um ditado popular que define que “nada detém a inexorável marcha do tempo”. Contudo, nada segura a força inexorável de olhos sonhadores. A paixão criadora é que movimenta o mundo e alavanca os sonhos. Aquela magia que deixa o sorriso límpido, lindo e jovem. O entusiasmo que, independentemente da idade, nos transformam em “cavalos novos que assustam galinhas velhas”. Você sabe o que eu quero dizer?

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Artigo para o Jornal Expresso Ilustrado - 08 jan 09 - Cacos de Vidro no chão

A virada do ano proporcionou uma visão fascinante. Uma multidão em delírio, cabelos balançando, braços erguidos e expressões multifacetadas. O som alto ecoava em batidas alucinadas. Era a madrugada de 1° de janeiro de 2010. Caio Fernando Abreu, se estivesse entre nós, teria se assustado com a tamanha diferença do seu “Passo da Guanxuma”, apelido carinhoso que dava para Santiago. Fora da aglomeração, eu tinha duas escolhas: observar as pessoas ou entrar naquela magia frenética. Olhando os festeiros, foquei a atenção num jovem de terno escuro que estava sentado no degrau de uma arquibancada de concreto. Ele chorava, tentando disfarçar o próprio drama. As pessoas, nos primeiros dançares do ano, nem percebiam. O rapaz parecia não ter amigos, ninguém que o consolasse. Na mesma hora, pensei: amor perdido. Foi quando vi o seu pé esquerdo, com sapato preto lustroso, esmagando algo. De onde estava não defini bem, mas pareciam cacos de vidro. Pensei em ir até lá e conversar. De repente, o jovem levantou, enxugou as lágrimas com o braço e seguiu o seu destino, empurrando alguns dos foliões. Fiquei sem ação, vendo-o se afastar, deixando para trás os cacos no chão, banhados com lágrimas de solidão. Queria poder ajudar, mas não deu. Espero que ele leia este artigo e pense na frase de Walter Grando “Mesmo que você chegue à estaca zero, ainda estará no começo de tudo”.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Artigo para Revista Pampas - 16ª Edição - O Valor de Um Exemplo

Acir José Pasini - em homenagem


A melhor forma de se aprender algo, em nossa vida, é pelo exemplo.

Quando eu tinha por volta de uns cinco ou seis anos, “peguei” uma bala do bar Bonanza, em Santiago, sem que ninguém visse. Ao sair do local, ao lado de meu pai, sem querer deixei que ele observasse a guloseima. Então ele perguntou:

- O que é isso? Você pegou essa bala sem pedir?

Ao obter a minha resposta afirmativa, não brigou comigo. Retirou uma moeda do bolso e disse o seguinte:

- Giovani, vamos até o bar. Você vai pagar essa bala...

Dito e feito. Tive que enfrentar o Firmino, o dono do bar e pagar a tal da bala. Naquele momento, confesso que fiquei com muita vergonha. Entretanto, hoje tenho muito orgulho.

Há algum tempo, o meu filho Eduardo, que na época tinha seis anos, fez o mesmo no supermercado Bazana, em Santiago. Ao sair do supermercado, observei um chiclete na sua mão. Perguntei:

- Eduardo, o quê é isso? Você pegou esse chiclete sem pagar?

Coincidências do destino. Diante da resposta positiva de meu filho, o passado voltou em segundos. Naquele instante, eu era o Eduardo e meu falecido pai estava em mim. Retirei uma moeda do bolso e, calmamente, fiz com que ele pagasse aquele chiclete, ao caixa do supermercado.

O melhor valor que podemos receber (e deixar) é o exemplo. Talvez seja esse o ponto negativo, que assola a nossa sociedade: o mau exemplo. Este, tantas vezes difundido pela própria mídia impressa e televisiva, que coloca demonstrações de desonestidades dentro do nosso lar.

Caro leitor, todos nós teremos algumas opções na vida. Algumas delas possuirão o cheiro da desonestidade e o gosto do egoísmo.

Caberá unicamente a você a decisão. Aceitar a corrupção do caráter, ou ser feliz e dormir tranqüilo, toda noite, sabendo que os pensamentos e os exemplos valem mais que toda essa futilidade mundana.

Até hoje agradeço os bons exemplos recebidos de meu pai. A roda da vida gira, gira, gira...

De repente, nós voltaremos ao início - e o fim; o fim será apenas um recomeço...


(Em homenagem a Acir José Pasini, falecido em 20 de abril de 2009)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...