sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Convite para quem está em Santiago

Foto: montagem Janice e Júlia Trombini

Para quem vai estar em Santiago neste sábado, 31 de outubro de 2009, deixo o convite para participar do 15º Cafezinho Poético Literário da Casa do Poeta de Santiago.

Local: Centro Cultural de Santiago
Horário: 20h00min

Contamos com a sua presença!


quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Artigo para o Jornal Pampa Regional - As esquinas de Santiago


Foto retirada da internet

Geralmente gosto de escrever sobre educação e cultura. Acho, caro leitor, assuntos desligados de interesses particulares. A educação e a cultura, quando vistos sob um ângulo apolítico, são de relevância imensurável e tratam do coletivo.

Entretanto, hoje falarei sobre a nossa “terrinha”: a cidade de Santiago. (No final sei que voltarei para a cultura...)

O primeiro aspecto que gostaria de ressaltar se refere à construção de casas e edifícios. Em nenhuma cidade da redondeza se constrói tanto e em tão pouco tempo. Sinais da evolução física (material) e estética. Quero dizer, a renovação predial está tornando o município mais bonito e aconchegante.

O segundo tópico: evoluímos no pensamento urbano, arrisco a dizer – moderno. Não somos mais uma localidade ilhada, no centro-oeste do quase fim do Brasil. Os jornais, a internet, a TV, as revistas – tudo contribuiu para a aproximação dos grandes centros. Atualmente, a produção artística (literária, pintura, música etc.) não está localizada apenas nos braços de uma elite. Na verdade é do povo! E nisso o nosso povo é bom, ou seja, hábil em contar histórias e forte de tradição.

O terceiro e último item deste artigo focaliza algo metafórico, um tanto poético: as esquinas de Santiago.

As esquinas de Santiago já não são mais as mesmas! Elas – dizem as boas línguas – elas já não possuem mais a depressão e a tristeza que tanto causavam retrocessos. Talvez, em parte, pelas evoluções supracitadas. O fato é que o marasmo resolveu abandonar os nossos pagos, indo para bem longe da “Terra dos Poetas”.

As esquinas de Santiago, largas, azuis nos seus paralelepípedos, estão em polvorosa com as promessas do futuro que surge nas nossas curvas. Felizes, elas escutam as palavras positivas que circulam pelas calçadas...

“- Sou de Santiago!” – Diz o transeunte ao visitante desconhecido. O ar está mais doce e a respiração mais leve. “-Sou de Santiago, tenho orgulho e amo esta cidade!”

O que antes gerava espanto, agora se torna eco: “Amo Santiago...Amo Santiago...Amo Santiago...”. Nossos corações batem mais forte ao ver uma geração vindoura, criativa, positiva e poética. Onde se lê “poética”, entenda-se uma sensação e não um conjunto de palavras.

As esquinas de Santiago estão ficando poéticas de sentimento! O que antes era fofoca está se transformando em poesia. As danças do conhecimento se esbarram nas atividades sociais, políticas e desportivas. A mudança da direção e do sentido transformou o nosso presente e deixam lastros de sucesso para o futuro...

Pense sobre isso!

E que possamos nos encontrar nas esquinas da vida e nos caminhos de Santiago!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Texto do amigo Castiél

O amigo José Augusto Vicente Castiél (foto ao lado), colega de trabalho da Artilharia, solicitou-me que lançasse o seu texto no meu blog.
===
Cumpro tal solicitação com imenso prazer, pois este blog busca lançar assuntos de cultura e educação, além de temas que buscam fazer o leitor "pensar" sobre a vida.
===
É com satisfação que mostramos os trabalhos de novos escritores, ou de quem confecciona textos e, antes, deixava guardado.

As palavras devem ser feitas e lançadas para o mundo!
===
Aproveito a oportunidade para dizer aos amigos que desejarem apresentar o seu trabalho, que o blog está à disposição. Basta enviar o texto e foto. Grande abraço!
Vamos ao texto do capitão Castiél...

Entre cinzas e nuvens - José Augusto Vicente Castiél

Preciso descobrir qual a distância entre cinzas e nuvens...
E quanto mais anseio saber, menos sei, julgo eu,
Em meus momentos de solidão elas estão tão próximas,
De conseguirmos contar os sobrevôos nas trevas...
(que triste e duradoura sobriedade)
E logo em seguida...
Mergulhar eufórico nas águas da esperança, e de repente...
Quando o fôlego nos chama à tona, vemos o sol (a direta, reta e ofuscante realidade).

E tão distante pode ser também...

Como os milhares de anos luz que me separam
Daquela brilhante e majestosa estrela que agora contemplo...
Será que algum dia chegarei lá,
E lá no Éden possa permanecer por alguns...
Intensos e revigorosos momentos de ... ... luz.

Que inconstância é esta oh Senhor,
Digas-me o caminho para chegar às nuvens,
Tira-me destas cinzas que me sufocam e indesejavelmente me acaloram,
Que ciência ou consciência preciso...
Para ter a liberdade de ir e vir...

Não me olhes assim, toque-me e veja de que sou feito
Dê-me, então, a coragem e a confiança para nunca,
Chegar ao fundo e por lá permanecer,
Sopre esta névoa que nos separa, abra-me um caminho...
Tenho certeza que, apesar de tudo, e de eu ter desistido,
És incansável e batalhador, e enquanto houver ...
Vida,
Não desistirás de mim.

Não me deixe somente nas nuvens, pois passageiras elas são...
Mas também não me deixes nas decantadas e eternas cinzas,
Austero guia eu seja para saber os caminhos
Entre as cinzas e as nuvens

Por enquanto...
Conduza-me como sempre nesta era o tem feito.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A Voz dos Escritores - Entrevista Juarez Girelli

A Casa do Poeta de Santiago (www.casadopoetadesantiago.com.br) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".

Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.

O nosso nono entrevistado é o Sr JUAREZ GIRELLI, 49 anos, natural de Santiago, RS. O Girelli é livreiro e trabalha na Livraria Santiago, perto do Clube União Santiaguense, na Rua dos Poetas. O companheiro Girelli escreveu obras infantis, com desenhos e muita luta. A sua humildade é observada nas condutas e conversas que temos com ele.
A entrevista ocorreu na semana passada e as aprendizagens transmitidas em algumas perguntas são interessantes. Vale a pena ler!

1. Quais os livros que o senhor publicou?
Girelli - Publiquei a obra "O menino e o pássaro", obra infantil e "Caminhos, o menino dos Trilhos" que transmite uma mensagem ecológica em forma de poesia.

2. Observamos nas suas obras uma ligação com o mundo infantil. Qual o motivo de gostar de escrever para crianças?
Girelli - Na verdade, todo o tempo que tenho, sem precisar ser adulto, torno-me uma criança, pois criança é um dom divino. Prefiro ver o universo da maneira mais simples possível e sempre poder perdoar.

3. Com quantos anos o senhor começou a escrever? Por qual motivo?
Girelli - Aos vinte anos; pelo vazio que sentia na alma e pelas injustiças praticadas pelo ser humano que fala em vida, mas que mata o planeta.

4. Qual o próximo projeto? Algum livro que está trabalhando? Qual será o tema?
Girelli - A próxima obra já está pronta. A história é infantil e só falta o desenho. O título é "A Cachorra Burguesa e o Cão da Favela". Trata das relações desiguais entre os seres vivos do planeta.

5. Fale-nos um pouco sobre a livraria Santiago:
Girelli - Comecei vendendo livros no calçadão, com uma mesinha. Nem imaginava trabalhar numa livraria. De repente, pintou uma parceria com o Tide Lima e deu certo. É ótimo, pois ali se encontram todos os segmentos da sociedade.

6. Quais o(s) escritor(es) que o senhor gosta e aconselha aos leitores desta reportagem?
Girelli - Aconselho a ler a bíblia, pois ela é o único livro que contém vida e traz o que todos buscamos, a vida e a paz. Depois, leiam todos os livros que os deixam felizes.

7. Qual o conselho que o senhor daria para quem está iniciando na escrita?
Girelli - Que escrevam e continuem sempre, sem medo de errar.

8. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem:
Girelli - Quando o sol nasce, ele nasce para o justo e injusto. Lembre-se: a verdade só acontece quando reconhecemos nossos erros e quando as injustiças são combatidas. O segredo da vida é acordar sorrindo, sem medo de ser feliz!


A imagem dissecada

Foto retirada da internet

A perfeição de caráter nunca será alcançada.
O ser humano é falho e imperfeito.
===
Obviamente, se torna mais fácil encontrar defeitos
na personalidade dos outros.
Julgar é o ato mais fácil de ser executado.
===
Pense comigo:
julgamos quando escolhemos o cônjuge,
quando queremos comprar uma roupa,
fazer uma comida,
executar um esporte,
ter filho ou não,
assistir um filme,
e tantas outras decisões...
===
Escolher é o ato mais executado na vida.
Tudo são escolhas e julgamentos.
Escolhemos tudo exceto a morte (quando não a escolhemos).
Nós julgamos - baseados em nossa experiência - para escolher.
===
Entretanto, o
é a atitude mais difícil de ser realizada.
Por isso, tenha muito cuidado ao julgar os outros.
Existe uma grande chance de você estar sendo enganado
pela própria arrogância.
===
Pensar nos próprios defeitos é muito bom.
Tentar corrigi-los também.
Difícil - quem já passou por isso sabe o que estou dizendo -
difícil é ser corrigido por quem é imperfeito ( talvez mais que nós)
e carrega uma carga excessiva de presunção.
===
Só que, no final de tudo, a análise "de fora" será sempre boa.
Rever a própria "imagem dissecada"
converge para a desestabilização e,
em consequência,
para uma reestruturação.
===
Afinal, a educação é isso:
ninguém é perfeito, todos podem ser mudados.
Evolução acalentadora.
Aprender e nunca ser apreendido por uma situação.
===
Por fim,
nunca tente prejudicar alguém.
Siga a proposta de Augusto Cury:
se não puder perdoar (esquecer)
ao menos de anistia para quem o magoou (esqueça dele).
Afinal, se você não amar a si próprio,
quem amará?

IV Seminário de Educação da UNOPAR - A Educação do Século XXI

Foto retirada da internet

A Universidade Norte do Paraná - Pólo de Santiago - estará realizando no Centro Empresarial de Santiago, nos dias 5, 6 e 7 de novembro de 2009 o IV Seminário Regional de Educação, com o tema geral "A Educação do Século XXI".

O evento fornecerá um certificado de 25 (vinte e cinco) ou 40 (quarenta) horas. O tempo maior será concedido para quem realizar o projeto de pesquisa. Como o seminário não possui fins lucrativos, por ser organizado pelos próprios acadêmicos, o valor da inscrição é R$ 20,00 (até 30 Out) e R$ 25,00 (de 3 a 5 Nov).

Serão palestrantes os seguintes educadores:

05 Nov 09 (noite) - Prof. Ms. Carlos Giovani Delevati Pasini - "A Educação com a ótica do futuro."
06 Nov 09 (tarde)- Prof. Esp. Froilam de Oliveira - "Hipertexto - Leitura & Escrita"
06 Nov 09 (noite) - Prof. Esp. Leonel Stallbaum - "Ensino à distância: Educação do Séc. XXI"
07 Nov 09 (manhã) - Profa. Esp. Cida Azzolin - "Juntando os pedaços da Educação e construindo um lindo Patchwork"
07 Nov 09 (tarde) - Profa. Esp. Ruth Elis Martins Gonçalves e Profa. Esp. Brisabel Amaral - "Obsolescência do conhecimento: transformações X desafios".

Quem quiser maiores informações pode entrar em contato com a universidade, pelo telefone 3251-1049 ou e-mail ins54@unoparvirtual.com.br.

Vagas limitadas!


sábado, 24 de outubro de 2009

A saudade não é coisa de Deus

Foto tirada da internet

Em homenagem ao Acir Pasini (pai), ao seu Dirceu e à minha esposa Karla

Ontem, numa conversa dentro do carro,
a minha esposa Karla lançou a seguinte frase:
"A saudade não é coisa de Deus..."
===
Ela estava falando da imensa falta que sentia
de seu avô, Dirceu Amarante, que falecera no final do ano passado.
Em novembro completará um ano de seu óbito.
===
Naturalmente, uma frase magoada como essa,
somente parte de alguém que já perdeu um ente querido.
A dor da perda é quase insuportável.
Senti isso no dia 20 de abril de 2009,
data em que perdi o meu pai.
fato tão marcante que está sendo tema de meu próximo livro.
===
Vou apresentar um conceito "sentido"
- não somente pensado -
Julgo que existem vários tipos de saudade.
===
1. Somos saudosos dos momentos felizes,
das recordações (revividas) prazerosas,
das pessoas que perdemos sem perder...
Estou falando dos amigos que ficaram pela estrada,
aqueles que não falamos e sabemos mais...
===
2. Somos nostálgicos em relação
às idades que já não temos mais:
os dez, os quinze, os vinte, os trinta...
Temos lágrimas nos olhos, quando lembramos
das brincadeiras de criança.
Um sorriso surge nos lábios,
quando a imagem das arminhas de brinquedo retorna à mente...
===
3. Somos incompletos quando nos lembramos do ente querido,
aquele que se foi para o desconhecido.
Uma dor que invade o coração (pela mente) e
parece arrancar um pouco de nossa alma.
===
Um assunto triste, pesado, eu sei disso.
Entretanto a morte faz parte do tema da vida.
Esse tipo de saudade, da qual a Karla falava,
também acho que não é coisa de Deus.
===
A saudade doída é coisa do mundo.
Transição de fases inexplicáveis
- temporárias -
coisas da carne,
da realidade diária de uma terra materialista
e finita.
A saudade de um pai (perdido?) é a dor de um tudo!
A separação do próprio sangue.
Portanto, voltamos para a carne e ossos - matéria.
===
Na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende-RJ,
os cadetes tinham um ditado:
"Nada detém a marcha inexorável do tempo."
Uma frase sábia e imperativa.
===
Quando a dor bater forte na alma
e ocorrer aquela saudade insustentável
- que esvazia certas crenças -
saiba o seguinte:
"Nada detém a marcha inexorável do tempo."
Para nós todos...
===
Enfim, quero dizer que
"nós não vemos o mundo como ele é,
nós vemos o mundo como nós somos!"
O mesmo acho que ocorre com o pós-vida.
===
Se for assim,
daqui há algum tempo estarei
tomando um copo de vinho tinto,
vendo o meu velho pai sorrindo,
com suas bochechas vermelhas.
Do lado dele estará o "Seu Dirceu"
com seus pequenos copos de cachaça...
Então, naquele momento, Deus será a situação.
===
Aí as gargalhadas serão ouvidas por todo o infinito.
Estaremos rindo daquele pouco tempo
de "saudade doída"
que todos nós tivemos na vida...
===
Então a Karla irá contar sobre a conversa de dentro do carro,
num certo dia de outubro.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

A estética da maldade

Foto da Internet

Acredito em anjos e demônios.
===
Desculpe-me quem é ateu ou realista demais.
Mas, acredito no bem e no mal.
===
Entretanto, minhas crendices de nada importam!
A verdade é relativa - diziam os amigos da Casa do Poeta (no cafezinho poético).
Ela é tão variável que em alguns momentos
- ou história -
a verdade se torna a maior mentira (ou vice-versa).
===
Contudo, faço questão de apresentar uma sequência de ideias.
===
Minhas crenças vagam pelo seguinte pensamento:
julgo que nossas atitudes são consequências da gangorra:
bem ----neutro -----mal
===
Tudo é questão de performance.
===
Gira, também,
como avalanche de resultados,
causas e efeitos,
falhas de comunicação,
conflitos de interesses,
egos exaltados
ou
simplesmente
a estética da maldade.
===
A face oculta da maldade que está escondida no fundo dos olhos falsos, insanos e enganadores.
Sua aparência se assemelha ao bolo de aniversário de isopor (bonito e duro).
Uma malícia destruidora das iniciativas promissoras,
pelo único preceito cruel
que acompanha a história da humanidade: destruir.
===
A fisionomia da crueldade se encaixa no que é verdadeiramente mal.
Não existe a discordância de opiniões - apenas o dolo!
A vontade de causar dor para ver o sofrimento.
--Uma dança com as "viúvas-negras" do caráter.
===
Sim. A maldade existe.
Sua aparência
pode estar refletida
na parede fria de nosso próprio espelho.
===
Sim. A bondade também existe.
A ação duradoura, desinteressada e acalentadora.
Aquela sem interesses escusos atrelados.
Ela - às vezes - aparece no nosso espelho...
===
Como eu disse:
acredito em anjos e demônios.
===
Nossos anjos e demônios.
===
Aqueles incutidos na personalidade
de nosso dia a dia...

Artigo para o Jornal Pampa Regional - Questão de um momento...

Foto da Internet

Hoje, enquanto atravessava a rua em direção à faculdade, um senhor idoso, acho que com mais de oitenta anos, deu-me um sorriso grande e largo. Os dentes alvos, brilhosos, contrastaram com a noite escura.

Acho interessante a empatia que surge em momentos rápidos, com pessoas desconhecidas, como esse que vivi. Talvez isso só ocorra, ainda, em cidades pequenas como a nossa Santiago.

em Porto Alegre, no mês passado, ao passear pelo calçadão em busca de uma livraria, eu não era ninguém. Não existia. Poderiam passar por cima de meu corpo jogado, caído, que não estenderiam à mão.

Questão de um momento.

O velho senhor de pele morena, dentes brancos, cabelos grisalhos, conseguiu me fazer rir!

A dádiva de uma atenção, de um simples olhar, pode modificar a nossa concepção de mundo. Em segundos, o meu humor (mesmo que passageiro e superficial) passou a ser a maior felicidade que poderia existir na terra.

Questão de um momento.

Talvez nunca possamos vislumbrar e entender a verdadeira força de um sorriso. Eu não entendo. Falo pouco e dou poucas gargalhadas. Deve ser por isso que o tempo passa muito rápido na minha vida. Fico (e ficamos) atarefado, sobrevivendo numa realidade imaginária, dogmática, cheia de regras e compromissos. Hoje é segunda e amanhã será domingo...

Será que passaremos a semana inteira esquecendo do agora?

Acho que sim. Somos carrancudos, mal-humorados e problemáticos. A nossa dor é sempre pior que a dos outros. Economizamos sorrisos e esbanjamos palavrões. É a sina da modernidade humana: correr, lucrar, vender, ganhar e morrer.

“- Pára filho, não posso brincar... Tenho muito que fazer!”

Entretanto, ainda é tempo de mudar. Na verdade, é questão de um momento. Este é o momento!

Naquela calçada perto do Colégio Medianeira, ontem à noite, alcancei os meus objetivos momentâneos. Quais seriam eles?

Num reflexo rápido aprendi a ser um homem do passado, da década de cinqüenta. Abri um sorriso, o maior de todo este mês de outubro, cumprimentei o ancião e fui “feliz da vida” para a sala de aula!

Como eu disse, questão de um momento...

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

14° Cafezinho Poético da Casa do Poeta de Santiago

Foto: montagem Janice e Júlia Trombini

No sábado, dia 17 de outubro de 2009, ocorreu o 14º Cafezinho Poético da Casa do Poeta de Santiago.
A atividade foi interessantíssima, com a presença de pessoas que abrilhantaram a reunião e que fizeram da noite um momento de interessante aprendizagem.

O assunto debatido, principalmente, foi sobre o tempo. A relação do tempo com as atividades humanas, entre outros debates.

Se você ainda não participou, eu recomendo: a próxima reunião será no sábado, 31 de outubro, às 20h00min, no Centro Cultural (em frente ao Banco do Brasil). Uma atividade aberta ao público! Contamos com você!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Reunião de Coordenação do I Fórum Latino Americano / II Encontro de Escritores do MERCOSUL


A Casa do Poeta de Santiago está organizando, junto com o Centro de Integração Latino-Americano (CILAM), o I Fórum Latino-Americano de Literatura Contemporânea / II Encontro de Escritores do MERCOSUL, que ocorrerá nos dias 22, 23 e 24 de janeiro de 2010, como evento paralelo da 22ª Copa Santiago de Futebol.

Esse evento internacional contará com a presença de leitores e escritores de todo o Brasil e da América Latina, com a participação de autores como Eduardo Galeano (Argentina) e Joaquim Moncks (Porto Alegre, RS).


No dia 16 de outubro de 2009, ocorreu uma reunião no Centro Empresarial de Santiago, como preparação inicial do evento, contanto com a presença de autoridades como o Exmo Sr Presidente da Câmara dos Vereadores de Santiago, o Sr Miguel Bianchini, do Presidente do Centro de Integração Latino Americano - CILAM (Santa Maria) e a Sra. Mônica da Secretaria de Turismo. Estiveram presentes, também, representantes do Centro Empresarial de Santiago, do Exército Brasileiro e de empresas privadas de Santiago.

Existe a previsão do lançamento da 1ª Fase da campanha de marketing (fase de divulgação pela internet) a partir do dia 6 de novembro de 2009 e da 2ª Fase da campanha (divulgação física na região), que será realizada no auditório do Centro Empresarial de Santiago, a partir do dia 27 de novembro de 2009.

O I Fórum Latino-Americano de Literatura Contemporânea / II Encontro de Escritores do MERCOSUL ocorrerá, como já dissemos, nos dias 22, 23 e 24 de janeiro de 2009, tendo a participação de escritores de vários países, sendo que a Casa do Poeta divulgará para as outras 75 (setenta e cinco) casas do Brasil, além das várias Academias de Letras que temos o contato e o CILAM divulgará para todos os consulados e embaixadas presentes no Brasil, além da divulgação via site das empresas e entidades parceiras.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Resultado do I Concurso Literário da Casa do Poeta de Santiago

A Casa do Poeta de Santiago, Casa Caio Fernando Abreu, realizou o I Concurso Literário, no período compreendido entre 16 de janeiro de 2009 e 31 de julho de 2009 com o tema "Caio Fernando Abreu", onde o concorrente selecionava uma parte do texto do Caio e o colocava em epígrafe (no início), ou no corpo do texto (entre aspas), citando a fonte.

Com cerca de 140 (cento e quarenta) trabalhos inscritos, de todo o Brasil, a escolha dos primeiros colocados foi bastante difícil e trabalhosa. A comissão julgadora ficou impressionada com a qualidade dos trabalhos, com a capacidade dos autores em desenvolver o tema.

Em virtude dessa grande qualidade tivemos que adiar o lançamento do resultado por duas vezes, até este dia 19 de outubro de 2009, no qual temos o prazer de lançar aos leitores.

Em virtude da qualidade dos trabalhos resolvemos, também, realizar a premiação dos 5 (cinco) primeiros colocados em cada categoria. Esse resultado será publicado na revista PAMPAS, no final do mês de Setembro de 2009 que receberão a seguinte premiação:

1º Lugar - Publicação de seu trabalho na 1ª antologia da Casa do Poeta a ser lançada em 28 de novembro de 2009. Certificado congratulatório. 05 (cinco) obras da 1ª antologia da Casa do Poeta. Prêmio a ser ofertado por empresa ou órgão público de Santiago.

2º Lugar - Publicação de seu trabalho na 1ª antologia da Casa do Poeta a ser lançada em 28 de novembro de 2009. Certificado congratulatório. 03 (três) obras da 1ª antologia da Casa do Poeta. Prêmio a ser ofertado por empresa ou órgão público de Santiago.

3º Lugar - Publicação de seu trabalho na 1ª antologia da Casa do Poeta a ser lançada em 28 de novembro de 2009. Certificado congratulatório. 02 (duas) obras da 1ª antologia da Casa do Poeta. Prêmio a ser ofertado por empresa ou órgão público de Santiago.

4º Lugar - Publicação de seu trabalho na 1ª antologia da Casa do Poeta a ser lançada em 28 de novembro de 2009. Certificado congratulatório. 02 (duas) obras da 1ª antologia da Casa do Poeta. Prêmio a ser ofertado por empresa ou órgão público de Santiago.

5º Lugar - Publicação de seu trabalho na 1ª antologia da Casa do Poeta a ser lançada em 28 de novembro de 2009. Certificado congratulatório. 02 (duas) obras da 1ª antologia da Casa do Poeta. Prêmio a ser ofertado por empresa ou órgão público de Santiago.

=====================================================================

Comissão Julgadora:

Carlos Giovani Delevati Pasini - Presidente da Comissão

Alessandro Reiffer - Membro

Lígia Pinto Rosso - Membro

Karla Dornelles Pasini - Membro

Elisabete Ávila do Amarante - Membro

Márcio Brasil - Membro

Maristane do Couto Pedroso - Membro e assessora jurídica

RESULTADO DO I CONCURSO DE ANTOLOGIA DA CASA DO POETA DE SANTIAGO

TEXTOS QUE SERÃO PUBLICADOS NA ANTOLOGIA

RESULTADO DA CATEGORIA POESIA

1º Lugar - Nos Poços - Albeniz Clayton (Cardiff - Reino Unido)

2º Lugar - O que Faz a Diferença?- Érico José de Oliveira Marin (Guarulhos - SP)

3º Lugar - O Ausente - Homero Gomes (Curitiba - PR)

4º Lugar - Desencanto - Perpétua Amorim (Franca - SP)

5º Lugar - Caio em mim - Gerson Lattuada (Porto Alegre -RS)

RESULTADO DA CATEGORIA POESIA LOCAL

1º Lugar - Epílogo - Indiara Fátima da Silva - (Santiago-RS)

2º Lugar - O Amor Sempre de Novo - Lillian Ferraz Zanella - (Santiago-RS)

===========================================================

RESULTADO DA CATEGORIA CONTO

1º Lugar - Entre as prateleiras - Valter Morigi (Porto Alegre- RS)

2º Lugar - Olhares e Espelhos - Ricardo Augusto de Lima ( Curitiba - PR)

3º Lugar - Ser Homem de Verdade - Eduardo de Paula Nascimento (Franca - SP)

4º Lugar -O Balé Esquisito das Pernas-Diego Santos de Quadros (Porto Alegre RS)

5º Lugar - Caos - Márcia Regina de Araújo Duarte (Rio de Janeiro -RJ)

RESULTADO DA CATEGORIA CONTO LOCAL

1º Lugar - A cor da Loucura - Ana Rauber - (Santiago-RS)

2º Lugar - O que sou para você? - Carla de Vargas Albuquerque - (Santiago-RS)

===========================================================

RESULTADO DA CATEGORIA CRÔNICA

1º Lugar - Características Femininas - Bianca N. Matos (Campinas - SP)

2º Lugar - Enxurradas - Érico José de Oliveira Marin (Guarulhos - SP)

3º Lugar - Vaidades do Desejo - Fábio Martins Moreira (Chapecó - SC)

4º Lugar -Olhando o passado - Márcia Regina de A. Duarte (Rio de Janeiro -RJ)

5º Lugar - Balada Triste da Mulher Moderna - Valter Morigi (Porto Alegre -RS)

RESULTADO DA CATEGORIA CRÔNICA LOCAL

1º Lugar - Parindo a Fórceps- Renan Machado Guerra - (Santiago-RS)

===========================================================

O LANÇAMENTO DA OBRA SERÁ NO DIA 28 DE NOVEMBRO DE 2009, NO CENTRO EMPRESARIAL DE SANTIAGO, RS.

Convidamos a todos os vencedores para estarem presentes no evento! Favor comunicar com antecedência a sua presença.

O autor que quiser adquirir mais obras (além das recebidas como premiação) poderá fazê-lo pela internet, no site da Casa do Poeta de Santiago, após o dia 06 de novembro de 2009, pelo preço de R$ 15,00.

Estaremos comunicando o resultado por e-mail. Temos duas vias do parecer da comissão junto da nossa secretaria.

Muito obrigado!

Carlos Giovani Delevati Pasini - Presidente da Casa do Poeta de Santiago

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Artigo para o jornal PAMPA REGIONAL - Para os meus netos...

Foto retirada da internet



Para os meus netos...

Falar sobre ecologia é politicamente correto.

Atualmente, a instituição (entidade jurídica ou não) que não se preocupa com a ecologia, já está perdendo dinheiro. Como sempre, o capitalismo gerencia o custo-benefício e a propaganda-eficiência-eficácia de nossas vidas.

Afinal, esse é o assunto da moda. As escolas falam sobre a preservação, os políticos (Al Gore) ensinam sobre o efeito estufa e os profissionais da comunicação e do marketing enfatizam, cada vez mais, sobre o futuro ecológico de nosso mundo. Há poucos dias, por exemplo, alguns seguidores do Greenpeace escalaram o parlamento britânico contra a inépcia do governo daquele país, em relação ao aquecimento global.

O meu filho, meses atrás, apresentou detalhes de preservação ambiental que não ensinavam no meu tempo de escola. Grato avanço. Espero que tal ensino se fortifique e não acabe junto com o modismo, tornando-se démodé.

Falar sobre ecologia, na atualidade, é politicamente correto. Dizer que atua ecologicamente seria o mais favorável neste artigo.

Entretanto, faço a mea culpa. Não tenho toda a consciência ecológica que deveria ter. Gosto de usar lenha no inverno, algumas vezes esqueço a torneira aberta e uso o carro mais do que devia. Sou fruto da (des)educação que minha geração teve.

Contudo, qualquer momento é tempo de mudar. Aprendemos durante toda a nossa vida. Um fato me fez modificar atitudes e repassarei ao leitor, como difusão e contribuição.

No final de setembro participei de um curso de Dicção, Desinibição e Oratória, no Centro Empresarial de Santiago. Durante o evento a professora, Ana Donner, disse o seguinte:

“- Toda vez que você não observar a sua torneira aberta, por desatenção, preste a atenção, rapidamente, ‘faça cair a ficha’ e a feche dizendo: isso é para os filhos de meu filho...”

Comigo está funcionando.

Ao fazer a barba, diariamente, quando escuto a queda da água perdida, levo um susto!

“Isso é para os filhos - de meus filhos - Eduardo e Amanda. Isso é para os meus netos...” – Penso.

No mesmo momento, a torneira e a minha consciência passam a ficar em silêncio.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Ipês, paralelepípedos e fofocas...

Foto retirada da internet

Em alguns momentos paramos para pensar.
Controlamos nossa boca,
fonte emissora de sons,
ampliados pelo palato
e pelo trabalho incansável das cordas vocais...
===
Em alguns momentos ficamos em silêncio.
Por instantes paramos para pensar.
Neste ínterim, os olhos funcionam com maior facilidade
auxiliado pela capacidade auditiva (e animalesca).
===
Quando os ouvidos enxergam,
os olhos escutam e, principalmente,
o nariz encosta, com tato suave,
o cheiro doce das plantas, umidificadas pela chuva,
- a normalidade é estar em silêncio. -
O silêncio do barulho cerebral,
no conturbado mundo imaginário da vida humana.
Milhares de impulsos elétricos,
na sinapse dos neurônios
em uma dança de inteligência...
===
Em alguns momentos ficamos em silêncio.
Observamos os ipês amarelos
soltando as folhas-flores
sobre os paralelepípedos azuis.
===
Contudo, são meros momentos.
===
Pouco depois, as nossas línguas andam
em um exercício de fofoca,
andarilho tão contumaz
que torna aeróbio - o anaeróbio
e vice-versa.
===
Se a Língua não usasse a língua,
como seria?
E como seríamos?

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

A Voz dos Escritores - Entrevista Therezinha Lucas Tusi

A Casa do Poeta de Santiago (http://www.casadopoetadesantiago.com.br/) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".

Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.

A nossa oitava entrevistada é a Srª THEREZINHA LUCAS TUSI, 78 anos, natural de Alegrete, RS. A Dona Therezinha é professora aposentada, formada em letras e viveu boa parte de sua vida na cidade de Santiago. Devido a sua literatura suave, de escrita sensível e intertextual foi eleita no ano de 2008 a Patronesse de Gestão da Casa do Poeta Brasileiro de Santiago.
A Dona Therezinha foi entrevistada na minha residência, no dia 9 de outubro de 2009. A Casa do Poeta fica feliz em poder conduzir este projeto, que realiza o arquivo para o futuro, com a catalogação de entrevistas de escritores, para pesquisa futura, por alunos de universidades ou novos escritores.

Dona Therezinha, obrigado pela excelência na entrevista.
Aos leitores, aproveitem para aprender com essa experiência!

1. Quais os livros que a senhora publicou?
Afinidades (poesias - 1984) e Passional (poesias - 2001). Participante de várias antologias poéticas e jornais literários. Membro correspondente da Academia Santa-Mariense de Letras, com participação em várias antologias daquela entidade.

2. Observamos, nas suas poesias, uma grande sensibilidade, com facilidade de emocionar o leitor. Como a senhora criou o seu estilo? E como desenvolveu essa capacidade de conduzir seus textos para a emoção?
Procuro cuidar da técnica, das regras que a composição de um poema exige, tanto na poesia clássica, rimada, como nos versos livres. Pego a essência de um momento e procuro expressar-me de maneira carregada dessa emoção. Então, minha alma é quem fala. E, segundo Caio Fernando Abreu "Essa é a minha delicada simplicidade na maneira de cantar o fato de estar viva, junto com um olho arguto para localizar as bonitezas invisíveis para a maioria das pessoas." Para Ayda Bochi Brum, minha professora de Letras, meu segundo livro Passional "é uma simbiose perfeita entre o sentimento e a palavra que o revela." Oracy Dornelles diz que sou "Poetisa de bons versos, baseados nas regras da feitura de poemas."

3. O poema "Afinidades", que dá origem a um dos seus livros, transcrito abaixo, é uma de suas obras primas. Conte-nos, por favor, a história desse texto.
"O Papel é o lenço branco
onde o poeta
enxuga seu pranto.
Lenço, tão pessoal,
não se empresta.
Mas se torna universal
quando o leitor se encontra
na dor do poeta." - Therezinha Lucas Tusi

Poesia é a arte de excitar a alma. É o gênero em que melhor a sensibilidade humana expressa sentimentos comuns a todo ser humano: amor, alegria, dor, solidão, "o sentimento do mundo" a que se refere Drummond.
Em Afinidades a palavra é a lágrima que cai no papel e não é mais só do autor. É também do leitor.

4. Com quantos anos a senhora começou a escrever? Por qual motivo?
A poesia sempre me encantou.
Fiz meus primeiros versos aos doze anos, incentivada por minha mãe e por excelentes professores do Colégio Divino Coração e do Instituto Osvaldo Aranha de Alegrete, onde fiz Ginásio e Magistério.

5. Qual o seu próximo projeto? Algum livro que a senhora está trabalhando? Qual será o tema?
Meu próximo livro está sendo organizado pela Professora Rosane Vontobel Rodrigues e equipe do Curso de Letras da URI, Santiago, para o projeto Santiago do Boqueirão, seus poetas quem são? Com poeams selecionados pela Professora e equipe, terá a apresentação do Mestre e Doutor em Linguística Prof. André Luís Mitidieri, com uma encantadora apreciação, da qual destaco: "Intensa, embora pareça frágil, Therezinha insiste em cantar a vida quando nem sempre há festa e, todavia, fazem guerras."
O seu lançamento será no dia 04 de novembro de 2009, às 19 horas, no Salão de Atos da URI. Na mesma ocasião ocorrerá o lançamento dos livros de Nenito Sarturi com suas composições nativistas que engrandecem nossas tradições.

6. Qual(is) o(s) escritor(es) que a senhora gosta e aconselha aos leitores desta reportagem? Qual o conselho que daria para quem está iniciando na escrita?
Olavo Bilac (que me ensinou a ouvir estrelas), Drummond (e sua clara profundidade), Manuel Bandeira, Fernando Pessoa, Mário Quintana, Gabriela Mistral.
Na prosa, Jorge Amado, Gabriel Garcia Marquez, os Veríssimo, os atuais Ricardo Silvestrin, Luis Augusto Fischer, Sérgio Faraco, Moacyr Scliar e tantos outros.
Leio e acompanho talentos locais já conhecidos e reconhecidos. Outros estão se revelando, às vezes timidamente, ("tudo vale a pena, quando a alma não é pequena") em programas de incentivo a cultura promovidos por pessoas idealistas, batalhadoras, pessoas que despertam o melhor das outras: Rosane Vontobel, Capitão Giovani Pasini, os editores do Jornal Literário Letras Santiaguenses e do Jornal Expresso Ilustrado que reserva um espaço para autores principiantes.
Aos iniciantes na escrita eu diria o que ouvi muitas vezes: é preciso reforçar os conhecimentos em português e literatura. Gramática, retórica, leitura dos clássicos, muita leitura do que melhor se produziu e está sendo produzido no Brasil e no Exterior.
Venho fazendo tudo isso.
E sei que ainda não sei tudo!

7. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem.
Aos leitores dessa reportagem que me honrou muito, ao Presidente desta Casa e demais componentes, a todos os amantes da poesia, saudações poéticas.

LAPIDADOR.
O maior artista do mundo: Deus
Sua obra prima: a vida.
Pensa que o homem
verso livre
verso mais lindo desse poeama de amor
ao tentar lapidá-lo
fez rima com a dor.
E deixou-o truncado.
----------------- Therezinha Lucas Tusi


domingo, 11 de outubro de 2009

Ser criança...

Para meus filhos - Dudu e Amanda

Ser criança é não ser adulto...
===
É não ter as preocupações descartáveis que os adultos possuem:
as contas, as brigas, os compromissos...
===
Ser criança é ser feliz!
É estar focado na brincadeira e na diversão!
===
É viajar pelo mundo imaginário,
sendo um príncipe num planeta distante,
ou um rei no castelo fortificado...
===
Ser criança é ganhar perdendo,
ajeitar o resultado de um jogo,
abraçando o amigo derrotado...
===
É estar livre para voar,
para subir aos céus nas asas de um helicóptero
fictício
e comer as ameixas amarelas no pé do fundo do pátio.
===
Ser criança é ser feliz...
É estar sorrindo ou dormindo levemente (foto),
É tudo o que pode ser enquadrado como bom!
===
Feliz dia das crianças!

Pensamentos sobre ARTE

Pintura de Van Gogh

A verdadeira ARTE não pode receber definições.
===
A ARTE - sublime expressão da integração do homem com o divino
pode ser representada por uma poesia, uma pintura, uma música, uma canção...
===
Pode ser visualizada nos projetos científicos,
nas inovações da engenharia
ou no estudo da genética.
===
A ARTE deve ser sentida.
Uma cartase criada pelas mãos de outra pessoa
que diz tudo aquilo que a gente gostaria de falar,
algumas vezes com apenas uma palavra - ou pincelada.
===
Apreciar uma ARTE é se aproximar de Deus
e sentir que ele não é apenas um delírio coletivo,
mas, sim, uma realidade eterna e artística.
===
Afinal, Deus, não é nada menos que criatividade,
cartase,
ARTE poética,
em resumo,
uma fuga da mortalidade finita do que é o ser humano.
===
Ao realizarmos (e apreciarmos) uma ARTE
somos imortais.
Uma perenidade muda, singela, mas eficaz.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Entrevista com a Escritora Therezinha Lucas Tusi

Hoje tive uma visita muito especial.
A poetisa Therezinha Lucas Tusi veio até a minha casa
para dar uma entrevista para o projeto "A Voz dos Escritores".
===
Em pouco menos de duas horas aprendi bastante.
è impressionante como algumas pessoas têm a capacidade de educar
somente pela sonoridade da voz.
Deve ser por isso que Sócrates ensinava andando...
===
A entrevista será lançada neste blog e no site da Casa do Poeta
na segunda-feira, dia 12 de outubro.
É uma entrevista especial, interessantíssima.
Aguardem!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Artigo para o Jornal Pampas - Santiago: Terra dos Poetas



Santiago: Terra dos Poetas


No final da década de 90, o vereador Nelson Abreu conseguia a aprovação da Lei Municipal com o epíteto “Terra dos Poetas” para a cidade de Santiago. Em 2008, tivemos a aprovação da Lei Estadual com o mesmo codinome para a nossa região.


Há poucos dias tive o seguinte monólogo (não foi um diálogo) com um cidadão santiaguense:

Ele: - Santiago nunca evoluirá como os grandes centros. Não temos uma livraria, o povo não gosta de cultura, ninguém lê e não conhecemos os poetas que Santiago tanto se vangloria...

Eu: - Santiago tem uma livraria de nome “Santiago” que fica perto do Clube União. Acho que a cidade está evoluindo muito, principalmente no aspecto da cultura.

Ele: - Qual a atitude que o município toma em relação ao desenvolvimento da cultura?


Depois dessa pergunta, passei a responder, explicando as atitudes que eu achava que Santiago estava tendo para desenvolver a cultura e, por consequência, a educação.

Entretanto, o colega não me ouviu. Quando temos uma opinião formada, se não agirmos com receptividade para escutar e refletir, seremos inflexíveis (fundamentalistas) nos posicionamentos.


O pensamento geralmente é construído, não temos dúvida disso. Contudo, a mudança só ocorre quando os nossos conceitos são destruídos ou, no mínimo, reestruturados.

A educação e a cultura não devem ser apenas evocadas, mas também invocadas. Não podem ser questionadas de fora para dentro e, sim, de dentro para fora. Quero dizer, o maior avanço ocorrerá quando alterarmos os conceitos negativos que temos (e que lançamos) sobre a nossa região. Essa idéia deve ser relacionada a todos os assuntos.


Portanto, vamos começar a mudar as nossas atitudes e julgamentos.

Inicie pela sua família. Tente influenciar o seu bairro. Cobre as atitudes positivas dos vereadores e governantes municipais. Compre apenas das empresas que patrocinam a cultura (e a ecologia). Difunda os nomes de nossos escritores santiaguenses. Ajude na divulgação de um evento esportivo ou cultural. Participe, mesmo que seja no seu trabalho e na sua esfera de atuação. Seja construtivo!


Enfim, mude a sua fala e costumes. Comece por você.

Só assim é que Santiago evoluirá...

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Tempo de reconstruir


Acredito numa única coisa:
renascemos a cada dia...
===
Cada noite é uma destruição de conceitos,
pensamentos,
histórias,
mágoas,
ofensas,
felicidades...
===
Enfim, quando levantamos de manhã cedo
e saímos da cama,
estamos renascendo para o mundo.
===
Não se preocupe em mudar o seu pensamento
a sua postura
reescrevendo o que você já disse.
===
O maior ensinamento que pode ficar
é que qualquer momento
pode ser tempo para reconstruir,
para esquecer a dor do passado
e viver da forma como você gosta.
===
Hoje vi uma reportagem no History channel sobre Roma.
Momentos como esse me fazem pensar
o quanto nossa vida é rápida.
Há milhares de anos a Roma Antiga era o palco da cultura.
Sob os escombros das ruínas acabaram vários sonhos...
===
E os sonhos é que movimentam o mundo
- nada é estático -
e, quando tudo acabar,
nossas aspirações estarão borbulhando
nos genes transplantados para os nossos filhos...
===
O meu tataravô está borbulhando no meu sangue
querendo gritar suas idéias para o universo!
===
O meu bisavô puxa as minhas orelhas
gritando para que eu fale!
===
Vovô está magoado...
levou uma surra do bisavô!
===
Acir José Pasini,
o velho e falecido pai,
está aqui no meu coração
entrando e saindo pelas moléculas de ar
rindo das minhas lágrimas...
===
Qualquer tempo é hora de reconstruir...
Não se esqueça disso.
Ah!
Não se preocupe com a carne. Ela é perecível.
Fique atento em sua alma,
que se transforma a cada instante
mantendo a constância perene.
Aí está o seu Deus...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A Voz dos Escritores - Entrevista Giovani Pasini

A Casa do Poeta de Santiago (www.casadopoetadesantiago.com.br) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".

===

Já estamos aguardando as entrevistas da Sra Therezinha Lucas Tusi, do Sr Auri Sudati e da Sra Lise Fank.

Em virtude dessas três entrevistas estarem em fase de produção resolvemos lançar a do Presidente da Casa do Poeta de Santiago, o Sr. Carlos Giovani Delevati Pasini.

===

Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.



O nosso sétimo entrevistado, como já foi informado, é o escritor CARLOS GIOVANI DELEVATI PASINI, 34 anos, natural de Santiago, RS. O Giovani Pasini é militar (Capitão do Exército), palestrante, colunista, além de ser o Presidente da Casa do Poeta de Santiago. Vamos para a sétima entrevista.



===



1. Você já possui algum trabalho (livro, textos, colunas etc.) publicado?
Sim, possuo.
Tenho seis livros publicados, listados a seguir, na ordem cronológica e com os seguintes títulos:
1- Corrida de Orientação: Esporte e Ferramenta Pedagógica para a Educação (2003)
2- Monólogo com Deus (2006)
3- Corrida de Orientação: Pedagogia, Técnica e Tática (2007)
4- Sob o Sol e um Céu Azul (2007)
5- A Segunda Revelação (2008)
6- A Arte Educativa. Sobre Pessoas e Educação (2008)

As duas obras de Corrida de Orientação foram as mais vendidas. Escrevi o primeiro livro do Brasil sobre esse esporte "Corrida Orientação: Esporte e Ferramenta Pedagógica para a Educação" (1), lançado pela Editora Excelsior de Minas Gerais. O outro (3), "Pedagogia, Técnica e Tática" está sendo bem vendido pela empresa de Santa Maria de nome Orientação.Net (www.orientacao.net).
As obras "Monólogo com Deus" (2) e "Sob o Sol e um Céu Azul" (4) possuem um sentido existencialista, talvez de auto-ajuda.
A obra "A segunda Revelação" (5) é uma ficçào sobre a possível volta de Jesus Cristo aqui no Brasil; e "A Arte Educativa"(6) trata sobre pedagogia e relações humanas, sendo que ela surgiu devido à pesquisa científica realizada durante a execução de um Mestrado em Educação.

Publico, ainda, alguns artigos na "Rotação Literária" do Jornal Expresso Ilustrado; recentemente fui convidado para ter uma coluna fixa no Jornal Pampa Regional e na Revista Lá Novittá que estará sendo lançada em outubro, na cidade de Santiago. No passado publiquei, também, artigos no Jornal Correio Regional.

Além disso, tenho um blog, cujo endereço é http://giovanipasini-educacao.blogspot.com/, onde lanço textos sobre vários assuntos.

2. Qual o seu próximo projeto? Algum livro que você está trabalhando? Qual será o tema?
Estou escrevendo, simultaneamente, dois livros.
O primeiro, cujo lançamento será em janeiro de 2010, trata de um tema difícil de escrever, o qual necessita de bastante pesquisa, mas que resolvi encarar: Deus e morte.
Esses temas eu investigo desde os dezessete anos, mas a motivação maior para produzir essa obra surgiu da dor insuportável que tive ao perder dois entes queridos, o meu pai - Acir José Pasini e o avô de minha esposa - Dirceu Amaral Amarante. A obra não busca solucionar o imutável e se trata apenas de um desabafo. Ela está sendo feita com grande amor, pois é reflexo do que eu sinto (e sentia) por esses dois grandes amigos.

O segundo é uma ficção que envolve um cientista, a cidade de Santiago e fatos inusitados. Estou bastante empolgado com esse, em virtude dos personagens possuírem uma personalidade marcante e que se construíram com alguns fatos reais e outros imaginários. Com certeza esse livro será publicado, também, no ano de 2010.


3. Com quantos anos você começou a escrever? Por qual motivo?
Foi em Porto Alegre no ano de 1989, quando eu tinha 14 anos.
Eu tive uma professora de Literatura, de nome Vera, que me incentivou bastante na produção de textos. Além dela, a minha Tia Enelva era a leitora assídua e motivadora.
Comecei escrevendo em um caderno de redação e, depois, pedi para que o meu pai pagasse um curso de datilografia (máquina de escrever) e passei a fazer poesias, na parte da tarde, quando voltava do Colégio Militar.
Até hoje tenho guardado as poesias que escrevi, sendo que nunca as publiquei.
Penso que se alguém escreve algo é para os outros lerem. Pretendo um dia lançá-las, mas ainda não.

4. Quais o(s) escritor(es) que você gosta e aconselha aos leitores desta reportagem?
Primeiramente, gostaria de dizer que qualquer leitura é importante. Sou um leitor assíduo e acredito que até a leitura de gibis (ou revistinhas) é fundamental.
Temos que buscar a nossa interpretação de textos e motivar os novos leitores, em qualquer momento.
Existem inúmeros autores do qual gosto. Entretanto, vou sugerir alguns, sem ordem de preferência, de três formas - outros países, brasileiros e de nossa Santiago.

De outros países: Dale Carnegie, Gabriel Garcia Marquez, Pablo Neruda, Jean-Yves Leloup e Will Durant (entre outros).
Do Brasil: Lya Luft, Rubem Alves, Augusto Cury, Paulo Freire, Érico Veríssimo, Carlos Drumond de Andrade, Vinicius de Moraes, Mário Quintana e Lair Ribeiro (entre outros).
De Santiago: Caio Fernando Abreu, Alessandro Reiffer, Ayda Bochi Brum, Therezinha Lucas Tusi, Lise Maria Fank, Froilam de Oliveira, Márcio Brasil, Lígia Rosso, Monique Soares e Marcus Vinicius Manzoni (entre outros).

5. Como surgiu a ideia da fundação da Casa do Poeta de Santiago?
No meio do ano de 2008, a Secretaria de Educação e Cultura de Santiago me convidou para participar de uma reunião, no centro cultural de Santiago, sobre a Feira do Livro. Lá, o professor Renato Polga disse que os autores de Santiago deveriam promover um local para encontro de escritores e leitores.
Como eu já havia participado de uma entidade de leitores e escritores lá em Porto Alegre, no ano de 1997, resolvi criar um projeto de fundação da Casa do Poeta de Santiago.
Juntamos forças com grandes amigos como a Lígia Rosso, o Márcio Brasil, a Maristane Pedroso, o César Braga, Jones Diniz, Alessandro Reiffer, Lúcia Bianchini, Tide Lima, Rosane Vontobel, Lise Fank e Lucas Figueira, entre outras pessoas.
A Casa do Poeta de Santiago foi fundada em 13 de dezembro de 2008, sendo a Casa de número 72 , de todo o Brasil. Contamos, à época, com o apoio do Presidente da Casa do Poeta Brasileiro, o Sr. Joaquim Moncks, com sede em Porto Alegre, RS.
Apesar de nova, está bastante ativa com a execução de 13 (treze) cafezinhos poéticos, uma Maratona Cultural, um concurso literário para lançamento de Antologia, o projeto A Voz dos Escritores e estamos organizando o I Fórum Latino Americano de Literatura / II Encontro de Escritores do MERCOSUL, para 22 a 24 de janeiro de 2010.
Estamos felizes, pois a Casa está se solidificando cada vez mais. O leitor pode acessar o site: www.casadopoetadesantiago.com.br e verificar os trabalhos.

6. De onde surgiu a ideia da criação do I Fórum Latino-Americano de Literatura / II Encontro de Escritores do MERCOSUL?
A ideia partiu do professor Noé Machado, após o contato com o escritor argentino Eduardo Galeano. O professor Noé me chamou, dizendo que confiava na Casa do Poeta de Santiago para realizar o intercâmbio com o Eduardo Galeano, com o objetivo de retomar o encontro de escritores, sendo que o primeiro havia ocorrido no final da década de noventa.
Posteriormente, entramos em contato com o Centro de Integração Latino-Americano (CILAM), de Santa Maria, onde fizemos uma parceria e tivemos a idéia de realizar o Fórum sempre atrelado à Copa Santiago de Futebol, pois esta envolve outros países da América Latina.
A atividade terá escritores (confirmado) da Argentina, do Brasil e do Uruguai. Estamos felizes com as várias parcerias que estamos formando, tais como: Prefeitura Municipal de Santiago, Câmara Municipal de Vereadores de Santiago, Exército Brasileiro, UNIPAMPA (São Borja), CILAM (Santa Maria), Casa do Poeta Brasileiro (Porto Alegre), Centro Cultural de Santiago, Ponto Cópias, entre outros.

7. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem:
Esta entrevista é, na verdade, uma "auto-entrevista".
Surgiu da necessidade de lançarmos um escritor toda a segunda. Teremos, na sequência, Therezinha Lucas Tusi, Auri Sudati e Lise Fank, entrevistas que ainda estão em produção.
O projeto A Voz dos Escritores realiza o arquivo histórico de todas as entrevistas concedidas pelos escritores da região. Consulte a pasta "Recanto dos Escritores" no site da Casa do Poeta.
===
Gostaria de dizer, ainda, que a literatura faz parte de minha vida e que pretendo, futuramente, ser reconhecido nacionalmente por minhas palavras. Contudo, esse reconhecimento poderá ser póstumo, não há o mínimo problema. Agora, não há escritor que escreva para deixar o seu texto engavetado. No mínimo leva as suas palavras para amigos e parentes.
Se você busca ser escritor, não se preocupe com os julgamentos iniciais e os preconceitos, pois a escrita é fruto de grande persistência, amor e dedicação.
Os críticos (alguns muito próximos) irão tentar destruir o seu trabalho, desmerecendo a sua iniciativa.
Esqueça aqueles que mandam você desistir. Escute os que contribuem para a sua evolução.
A sua eficácia dependerá de seu esforço e do seu amor pela literatura.
===
Por fim, agradeço a Deus, por todas as aprendizagens que tive durante a minha vida, até agora, e por todas que ainda terei.Acredito que somos o reflexo de nosso maior sonho. Os sonhos é que movimentam as iniciativas da sociedade e modificam o mundo.
Eu sonho (e desejo) ser um grande escritor.
Vamos à luta!

8. Como o leitor pode entrar em contato com você (e-mail, blog, site etc.)?
E-mail – gpasini@ig.com.br

Blog - http://giovanipasini-educacao.blogspot.com/
Será um prazer receber os comentários.
Julgo que o feedback é importante para qualquer comunicação. Afinal, ninguém conversa com a parede...
Obrigado aos leitores e à Casa do Poeta.
Até mais!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...