domingo, 13 de setembro de 2009

A voz dos Escritores - Entrevista Froilam de Oliveira

A Casa do Poeta de Santiago (http://www.casadopoetadesantiago.com.br/) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".
Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.



O nosso quarto entrevistado é o escritor FROILAM JOSÉ DE OLIVEIRA, 50 anos, natural de Santiago, RS. O Froilam é militar do Exército Brasileiro, colunista do Jornal Expresso Ilustrado, e excelente corretor ortográfico de Língua Portuguesa. Ele angariou um grande reconhecimento na região, em virtude de seus artigos, no supracitado semanário - alguns polêmicos - e por postar textos culturais no seu blog (www.froilamoliveira.blogspot.com). Particularmente, o conceito que tenho sobre as suas obras, principalmente os artigos, é que elas me fazem pensar, nem sempre concordando, é claro. Entretanto, dentro de uma sociedade democrática, as opiniões variam de uma pessoa para a outra. O que posso falar do Froilam é que ele possui uma opinião formada e usa dela para uma concatenação precisa, concisa e eficaz.

Quem quiser o contado com o autor poderá utilizar o e-mail: froilamo@bol.com.br

Vamos para outra grande entrevista!

1. O senhor já tem algum trabalho (livro, pesquisa, poesias etc.) publicado? Quais?

A partir do meu regresso a Santiago, em 1996, passei a publicar meus poemas e microensaios no jornal literário Letras Santiaguenses. Mais tarde, no semanário Folha Regional, assinei a coluna Metapoesia. Desde 2003, como colunista do Expresso Ilustrado, venho publicando crônicas e artigos de opinião. Em 2006, fiz minha estreia na Literatura com o livro Ponteiros de palavra. Há dois anos, tenho dado a conhecer meus escritos pela interface eletrônica, mais precisamente no blog “Contra .”, cujo endereço é www.froilamoliveira.blogspot.com

2. Com quantos anos o senhor começou a escrever? Por qual motivo?

Minha carreia literária tem duas fases distintas. A primeira, motivada pela paixão, iniciou-se aos 18 anos de idade (coincidindo com a maioridade, rsrs). A segunda, forçada pelo intelecto, ocorreu-me aos 27. Cartas e poemas apaixonados, na fase sentimental, romântica. Microensaios e aforismos (à nietzscheana), na fase racional, realista. Os poemas sobreviveram à transição de uma fase a outra, adequando-se à temática conceptual.

3. Como definiria o seu estilo? Gosta de escrever quais textos: contos, crônicas, poesias etc?

Meu estilo? Não posso definir meu estilo, uma vez que ainda o aperfeiçoo nos diversos gêneros que produzo. No poema, procuro a síntese, não me descuidando dos elementos que diferenciam a poesia da prosa. No artigo de opinião, busco a forma que julgo a mais adequada para expor o conteúdo.

4. Observamos que os seus textos (principalmente as crônicas) causam opiniões diversificadas – algumas a favor, outras contra – e, que independentemente do que o senso comum julga como certo, o senhor mantém o posicionamento. Como essa forma de escrever se construiu (e se constrói)?

Minha coluna no Expresso Ilustrado, Crítica e autocrítica, e meu blog, Contra ., são semelhantes no objetivo de suscitar o debate. Quando isso não ocorre, sinto-me um pouco frustrado, ora comigo mesmo, ora com o leitor. Às vezes, a forma (o significante) não é a mais apropriada para expor o conteúdo (significado).

5. Qual o seu próximo projeto? Algum livro que está trabalhando? Qual será o tema?

Outro livro de poemas. Está pronto, à espera da publicação. Título provisório: Espigas de luz. O tema é diverso, das estrelas aos recônditos da minha alma (não deixei de ser romântico).

6. Quais o(s) escritor(es) que o senhor gosta e aconselha aos leitores desta reportagem?

Leitor de Will Durant, filósofo e historiador norte-americano, que relacionou os cem melhores livros para uma educação completa, já montei uma biblioteca ideal, dividida em cinco estantes: poesia, prosa, filosofia, ciência e diversos. Poesia: Pablo Neruda, Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana, Carlos Nejar, Paulo Leminski e outros contemporâneos. Prosa: William Faulkner, Jorge Luis Borges, Guimarães Rosa, García Márquez, Cyro Martins, entre outros. Filosofia: Voltaire, B. Spinoza, E. Kant, F. Nietzsche, Bertrand Russel, J. Krishnamurti, entre outros. Ciência: C. Darwin, S. Freud (e pós-freudianos), Desmond Morris, Richard Dawkins, James Lovelock, entre outros. Diversos: Dicionário da língua portuguesa, Gramática da língua portuguesa, Tratado de versificação, Enciclopédia Britânica, almanaques, jornais, revistas, sites na Internet...

7. Qual o conselho que o senhor daria para quem está iniciando na escrita?

Ler, ler, ler... Ler vários autores no gênero em que o iniciante se aventura a produzir.

8. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem:

Caríssimos leitores, agradeço-lhes pelo tempo dedicado à leitura desta entrevista bem conduzida pela Casa do Poeta de Santiago. Muito obrigado a essa instituição cultural pela minha inclusão no projeto A voz dos escritores.

Um comentário:

  1. Gustavo - Recife PE14 de setembro de 2009 21:10

    Parabéns pela entrevista.
    Gostei muito deste projeto.
    Trarei para Recife...

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar o seu comentário neste blog.
Agradeço o tempo investido nesta comunicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...