quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Prefeitura Municipal de Santiago apoiará evento internacional de literatura da Casa do Poeta

Nessa terça-feira, dia 29 de setembro, às 12h00min, eu (Giovani Pasini) e o Diretor de Marketing da Casa do Poeta de Santiago, Lucas Figueira, tivemos uma reunião com o Prefeito Júlio Ruivo, sobre o I Fórum Latino-Americano de Literatura / II Encontro de Escritores do MERCOSUL.

A pauta foi a solicitação do apoio da Prefeitura Municipal de Santiago para a realização do evento, que ocorrerá nos dias 22, 23 e 24 de janeiro de 2010, na cidade de Santiago, RS.

Prefeito Júlio Ruivo

Ficamos satisfeitos, pois o Prefeito Municipal, o Sr Júlio Ruivo (foto acima), confirmou o apoio financeiro, a divulgação por intermédio da Prefeitura e o apoio em alojamento e alimentação para os escritores de outros países.
O próximo passo será realizar a coordenação mais detalhada com a Professora Denise, Secretária Municipal de Educação e Cultura.

Prefeito Júlio Ruivo e Lucas Figueira

Estamos felizes com todas essas parcerias.
Esperamos que o evento seja de grande sucesso!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A Voz dos Escritores - Entrevista Marcus Vinicius Manzoni da Silva

A Casa do Poeta de Santiago (http://www.casadopoetadesantiago.com.br/) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".
Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.

O nosso sexto entrevistado é o escritor e músico MARCUS VINÍCIUS MANZONI DA SILVA, 21 anos, natural de Santiago, RS. O Marcus é vocalista da Banda Anlis e possui um blog (http://garforustico.blogspot.com/) onde publica textos interessantes, boa parte de cunho existencialista, onde observamos vários assuntos, dentre eles a solidão e o amor. As suas obras fazem o leitor "pensar sobre o assunto", sendo que a Casa do Poeta recomenda a leitura.Vamos para outra grande entrevista!



1. Você já possui algum trabalho (livro, textos, músicas, colunas etc.) publicado?

Sim, possuo. Primeiramente, em meu blog os leitores podem encontrar diversos poemas, contos, causos, ensaios e comentários. Possuo 1 cd gravado, e lançado, com a banda Anlis, na qual sou vocalista e guitarrista. Possuo também uma milonga, de minha autoria, em que o cantor Júlio Pereira de Santa Maria regravou. Possuo ainda músicas da minha carreira solo que estão publicadas, e se pode ouvir em: www.palcomp3.com.br/marcusmanzoni.
2. Você é escritor, compositor e cantor. É fato notório que a escrita possui uma grande influência na sua vida, tanto quanto a música. Qual a interferência da música na escrita e vice-versa?
Eu sinto a música na escrita, sempre tento transformar uma frase dita em algo musical ou que soe bem ao ouvido (seja mental ou físico). Para mim, essa é a interferência de uma na outra.


3. Observamos, no seu blog, vários textos relativos ao amor? Você se julga um escritor romântico?

Não me considero um escritor apenas romântico. Porém, uma somatória de tudo o que já existiu no Universo.
4. Por favor, transcreva um pequeno texto seu para nós, contando a história da construção desse texto:
Quem Sou Eu? – “Eu devo ter me deixado em alguma esquina, abandonado-me em algum canto, algum livro; devo ter me perdido em algum acorde de violão, algum beijo, algum poema, alguma viagem; porque eu não sei quem sou. Apesar de tudo, procuro-me e não me encontro.”


Essa pequena observação nasceu após anos em que eu acordava todos os dias com um único pensamento: Quem Sou Eu? Eu passo os dias em busca de mim e nunca me encontro. Ainda ando nesse estado, porém um pouco mais próximo de mim mesmo.
5. Com quantos anos você começou a escrever? Por qual motivo?
Foi com 11 anos que me vi escritor pela primeira vez. Peguei o violão, um caderno, um lápis e uma ideia, assim compus uma melodia e uma letra. Não teve motivo, apenas aconteceu.
6. Qual o seu próximo projeto? Algum livro ou disco que você está trabalhando? Qual será o tema?
Até o final de 2009 tenho 2 projetos para lançar, estão em fase de finalização. Um segundo trabalho da Anlis para o final do ano. E para novembro devo lançar meu primeiro cd solo, músicas só de voz e violão, que terá poemas de escritores santiaguenses musicados, na verdade de amigos, como: Juarez Girelli, Alessandro Reiffer, Alan Pires, Anderson Mireski e Ayda Bochi Brum.


Para 2010, mais projetos. Devemos lançar o 1º álbum completo da Anlis, no exterior. Gravadoras do Sri Lanka e da Irlanda se interessam por distribuir o nosso álbum. Também em 2010 pretendo lançar um livro e um 2º trabalho da carreira solo musical, na mesma ocasião. O tema do livro é sobre a indiferença do uso de drogas na atualidade, sobre um casal usuário de cocaína que vive uma história bastante diferente, porém indiferente aos olhos da sociedade. Será minha primeira participação no cenário literário brasileiro. O tema do cd que devo lançar em 2010 não posso falar, porque ainda não comecei a compor para ele.
7. Quais o(s) escritor(es) que você gosta e aconselha aos leitores desta reportagem?

Mario Quintana, Machado de Assis, Caio Fernando Abreu, Eça de Queiroz, Edgar Allan Poe, Johann Wolfgang von Goethe, Gabriel García Márquez, Vitor Ramil, Alessandro Reiffer, Márcio Brasil, Ayda Bochi Brum. Não aconselho nenhum destes, apenas gosto muito das obras destes. Aconselho a leitura que lhes dá prazer e pronto.
8. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem:

Sinto-me lisonjeado pela entrevista, agradeço pela oportunidade e por lembrarem deste aqui que responde.
9. Como o leitor pode entrar em contato com você (e-mail, blog, site etc.)?
E-mail – marcusviniciusmanzoni@gmail.com
MSN – marcusvmanzoni@hotmail.com
Para ouvir músicas da Anlis – www.myspace.com/anlisoficial
Para me ouvir - www.palcomp3.com.br/marcusmanzoni



sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Apresentação para o Curso de Comunicação Social (Marketing e Propaganda) de São Borja

Na quarta-feira, dia 23 de setembro, fui até a cidade de São Borja realizar a apresentação do evento internacional que a Casa do Poeta de Santiago irá realizar junto com o Centro de Integração Latino-Americano (Santa Maria), ou seja, o I Fórum Latino-Americano de Literatura / II Encontro de Escritores do MERCOSUL para os acadêmicos do Curso de Comunicação Social - Marketing e Propaganda da UNIPAMPA.
Os acadêmicos, divididos em 7 agências, irão confeccionar o plano de marketing do Fórum/Encontro, por intermédio de um concurso interno. Com isso iremos elevar o nível do material, com traduções espanhol/português.
A idéia da parceria surgiu devido ao fato do referido curso da UNIPAMPA já haver realizado o planejamento da campanha de marketing da Copa Santiago e, por uma grata surpresa, eu estar no evento de lançcamento conduzido pelo Cruzeiro de Santiago.
Ficamos felizes com a apresentação e espantados com a eficiência da turma, pois as perguntas realizadas demonstraram um profissionalismo que marcaram a pequena palestra.
Estamos felizes com todas essas parcerias. Esperamos que o evento seja de grande sucesso!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Artigo para o Jornal Pampa Regional

Caros leitores, está postado a seguir o artigo que escrevi para a 3ª edição do Jornal Pampa Regional que já circula na região a partir desta quinta-feira (24 de setembro). Um novo tempo para a cultura

Surge um novo tempo para a cultura santiaguense.
A população de nosso município foi agraciada, num passado recente, por iniciativas homéricas de pessoas como Nelson Abreu (Lei Municipal “A terra dos Poetas”) e a professora Rosane Vontobel (Projeto Santiago do Boqueirão: seus poetas quem são?).
Essas iniciativas, fatos que irão ficar na história da comunidade, devem ser enaltecidas por dois simples motivos: o primeiro se acerca do desenvolvimento cultural e o outro engloba o arrefecimento de uma imagem negativa, não condizente com Santiago.
A universalização do acesso à literatura, não somente ao jornalismo, enaltece a (auto)imagem de nossa sociedade. Antes do projeto supracitado, por exemplo, eu gostava das obras de Caio Fernando Abreu. Já havia lido “O Ovo Apunhalado”, em Resende, RJ, no ano de 1997. Agora, pasme o leitor, eu (um santiaguense) não sabia, até 2006, que o Caio era um conterrâneo. Méritos para pessoas apaixonadas pela literatura (vou citar o Professor Noé Machado), com bandeiras visionárias, que carregam vários ideais no coração e pouca verba governamental.
Há alguns anos – e não faz muito – a nossa terra era conhecida (e reconhecida) por uma rima indesejada e inverídica, a qual não nos cabe citar. Em conversa com a professora Rosane, ela me disse que uma das metas do projeto era acabar com os complementos pejorativos. Hoje, observo que o intento está sendo alcançado e os jovens já não repetem a maledicência dos mais velhos.
Dentro de pouco tempo ocorrerá o lançamento da “Casa do Conhecimento”, na antiga Estação Ferroviária, local que foi palco de minhas diversões de criança. Espero, do fundo do coração, que esta seja uma atitude tão idealista quanto política. Afinal, esta não vive sem aquela, ou melhor, não deveria viver.
Enfim, um novo tempo nasce para a cultura santiaguense. Para encerrar, cabe lembrar, como dizia Santo Agostinho, que o futuro só existirá quando for o presente. Portanto, a hora de crescer é agora. Qual a ajuda que podemos dar?

Exército Brasileiro apóia evento internacional promovido pela Casa do Poeta

O Exército Brasileiro, por intermédio da 1 ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, Brigada José Luiz Menna Barreto, com sede em Santiago, RS, confirmou na data de hoje (24 de setembro de 2009), de forma extra-oficial, a parceria com a Casa do Poeta de Santiago em relação ao II Encontro de Escritores do MERCOSUL / I Fórum Latino Americano de Literatura, que ocorrerá entre os dias 22 a 24 de janeiro de 2010, na cidade de Santiago, RS. A parceria com o Exército era imprenscindível e ficamos satisfeitos com o apoio.

Entretanto, tínhamos a certeza que o apoio seria concedido, pois a política do Exército Brasileiro sempre foi a de aderir e participar de iniciativas culturais como essa.
Agradecemos ao Exmo. Sr. General de Brigada José Eustáquio Nogueira Guimarães, Comandante da Brigada, pelo parceria no evento.
O 19 ° Grupo de Artilharia de Campanha, cujo Comandante é o Tenente-Coronel Jacintho Maia Neto, é que realizará o apoio cerrado à atividade cultural.

Junto ao Exército (Santiago), já temos confirmado o apoio da UNIPAMPA (São Borja), do CILAM (Santa Maria), da Casa do Poeta Brasileiro (Porto Alegre), da Casa do Poeta de Passo de Torres e da Prefeitura de Posadas (Argentina).

Todas essas parcerias e as outras que esperamos a resposta, nos dão a certeza que o evento será coroado com o maior sucesso.
Até mais!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

12° Cafezinho Poético

No sábado, dia 19 de setembro de 2009, ocorreu o 12º Cafezinho Poético da Casa do Poeta de Santiago.
A atividade foi interessantíssima, com a presença de pessoas que abrilhantaram a reunião e que fizeram da noite um momento de intensa aprendizagem.

Particularmente, gostaria de dizer que os cafezinhos mudaram a minha vida e que eu aprendo tanto com os outros que agradeço a Deus a oportunidade de participar de tal evento.

Lá, sem dúvida, temos oportunidade de desestruturar nossas opiniões para, em seguida, reconstruí-las de uma forma mais sólida e resistente.

Se você ainda não participou, eu recomendo: a próxima reunião será no sábado, 3 de outubro, às 20h00min, no Centro Cultural (em frente ao Banco do Brasil). Uma atividade aberta ao público! Contamos com você!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A voz dos Escritores - entrevista Monique Soares

A Casa do Poeta de Santiago (www.casadopoetadesantiago.com.br) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".
Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.


A nossa quinta entrevistada é a jovem MONIQUE CRESTANI SOARES, 16 anos, natural de Santiago, RS. A Monique é estudante do Colégio Medianeira e dedica-se à arte da escrita, principalmente no seu Blog, cujo endereço está na entrevista.

O objetivo da Casa do Poeta de Santiago, no projeto A voz dos Escritores é divulgar quem exerce o excelente hábito de escrever. Os textos da Monique apresentam uma profundidade fora do comum e foram a razão do convite para esta entrevista.

A Casa do Poeta de Santiago fica empolgada com os jovens que são talentosos e apresentam dons de desenvolvimento da literatura santiaguense. Desejamos para a Monique os votos de continuado sucesso e que ela continue no ofício!

Que os leitores deste blog possam aproveitar mais esta entrevista!


1. Qual o endereço eletrônico do seu blog?

www.atwistinme.blogspot.com


2. Apesar de você ser jovem, observamos que publica, no seu blog, textos com grande profundidade de pensamento. De onde surge(iu) essa forma de escrever?

Tenho gosto pelas palavras desde muito criança. Logo que comecei a escrever, recebi grande apoio de um amigo meu, que me deu incentivo a começar um blog. Senti necessidade de mostrar isso à amigos e aos meus pais, que também mantiveram apoio e sempre me acompanharam.


3. Com quantos anos você começou a escrever? O que a levou até o hábito da escrita?

Pelo que me recordo, comecei a escrever contos e pequenas histórias com 10 ou 11 anos de idade. Eu já tinha o hábito da leitura e aos poucos o gosto de ler me levou às palavras, que hoje refletem o meu humor, meu estado psicológico e o meu dia, mesmo que inconscientemente.


4. Qual o texto – extrato – que você mais gostou de escrever? Transcreva-o para nós.

Foi o primeiro texto que fiz, quando voltava para casa e tive uma súbita vontade de escrever.

Seus cabelos negros e ondulados absorviam o frio do fim de tarde Londrino. Sentia suas mãos frias, e ocupava-se em pegar as luvas em sua bolsa. Entrara no mesmo café que freqüentava todos os dias no início da tarde e de lá só saíra quando o céu, outrora cinza, tornava-se mais escuro. O relógio de parede marcava 19 horas, e sabia que precisava ir. Carregava consigo seu casaco longo de lã batida, seu cachecol vermelho e um cappuccino. Protegeu o rosto do vento e continuou caminhando em uma Avenida, sozinha. Sonhou em mais uma vez encontrar aquele que um dia foi o grande amor da sua vida, e ao som de seus passos, compôs um ritmo doce que lhe trazia inúmeras lembranças. Chegou àquela casa escura, pequena e de portões clássicos, acompanhou o sentido das pedras que faziam um caminho até sua entrada, e sentiu o clique da porta. Entrou, olhou para o hall e soltou a chave em uma mesa. Inspirou o ar suave e intenso que havia naquele cubículo e teve segurança de que realmente, ali era seu lugar.”


5. Quais o(s) escritor(es) que você gosta e que tipo de literatura você lê?

Não tenho tanta preferência sobre escritores, gosto muito de literatura estrangeira e admiro bastante o trabalho de Agatha Christie. Também leio Paulo Coelho, Érico Veríssimo e me identifico muito no período barroco.


6. Você já pensou em progredir no hábito e escrever um livro?

Também já recebi bastante apoio quanto a escrever um livro, e acredito que no futuro possa surgir uma oportunidade. Seria um bom meio de passar aos jovens o gosto pela leitura, pelas palavras e para adquirir uma leitura e um vocabulário amplo. Seria uma realização de um dos meus sonhos.


7. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem:

Tenho grandes influências e personalidades nesse contato com blogs e amigos leitores, e gostaria de agradecê-los por jamais desistirem das minhas palavras. Ainda tenho a utopia que exista um melhor futuro pois, bem preparado na educação e na literatura, acredito que há a evolução.


8. Como o leitor pode entrar em contato com você (e-mail, blog, site etc.)?

Meu e-mail é moo_@live.co.uk, o endereço do meu blog é www.atwistinme.blogspot.com

sábado, 19 de setembro de 2009

Reunião em Porto Alegre - II Encontro de Escritores do MERCOSUL e I Fórum Latino Americano de Literatura

No dia 16 de setembro de 2009, o Presidente da Casa do Poeta de Santiago, o Sr Carlos Giovani Delevati Pasini, reuniu-se em Porto Alegre, RS, com o Presidente da Casa do Poeta Brasileiro, o Sr Joaquim Moncks e com a Presidenta da Casa do Poeta de Passo de Torres, a Sra Aledir Bristot e o seu marido Walter Roxo.
O assunto em pauta foram as atividades preparativas para o II Encontro dos Escritores do MERCOSUL / I FÓRUM LATINO-AMERICANO DE LITERATURA, evento que ocorrerá nos dias 22 a 24 de janeiro de 2010, na cidade de Santiago, RS, numa parceria que envolve várias entidades da região.
Joaquim Moncks, Walter Roxo, Aledir Bristot e Giovani Pasini

A Sra Aledir Bristot fará o lançamento de seu livro no evento junto com outros escritores brasileiros, argentinos e uruguaios. Ela já se comprometeu a trazer uma caravana de Torres e Porto Alegre, para a cidade de Santiago. No evento ocorrerá, também, o lançamento das obras dos escritores santiaguenses Alessandro Reiffer e Giovani Pasini.

Durante a visita a Porto Alegre, o Presidente da Casa do Poeta de Santiago divulgou o evento para a instituição cultural ECARTA e para a Fundação Machado de Assis, além do colunista Juremir Machado (foto abaixo), do Correio do Povo.

A Casa do Poeta de Santiago será a anfitriã da atividade cultural, cujo tema será "Propostas para o Desenvolvimento da Literatura Latino-Americana" e envolverá palestrantes da Argentina, do Brasil e do Uruguai.
Os participantes do encontro / fórum receberão um certificado de 25 (vinte e cinco) horas, fornecido pelas entidades CILAM - Casa do Poeta de Santiago. Além disso, poderão participar do debate, fornecendo idéias que serão registradas no documento histórico.

Participe deste evento! Sugira alguma idéia!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Artigo para o jornal PAMPA REGIONAL

A seguir, o caro leitor poderá ler o primeiro artigo que escrevi para o jornal PAMPA REGIONAL, que está presente na segunda edição, que veiculou a partir desta quinta-feira. É um artigo que fala sobre a modernidade, um assunto que não se esgota em apenas uma coluna. O objetivo de lançar este pensamento foi o de causar uma pequena reflexão - ainda que passageira - sobre o modo de vida de nossa atualidade. Se quiser, caro leitor, pode comentar e até discordar. Adoraria ouvir a sua opinião. Enfim, toda tese possui uma "anti-tese" (antítese).



Reminiscências de um Futuro

A região centro-oeste do estado do Rio Grande do Sul já não é mais a mesma. O futuro tecnológico chegou, acabando com as barreiras campesinas.

A sociedade contemporânea, mundo em que vivemos, sofreu e cada vez mais sofre inúmeras transformações. Nas duas últimas décadas, por exemplo, parece-nos que o modo de vida tornou-se mais acelerado, consequência de inventos como o computador, a internet e o celular. Os avanços foram tantos, que houve um estreitamento de relacionamentos virtuais: chat, MSN, Orkut. Inovações interessantes, já adaptadas ao perfil de jovens e até mesmo de adultos.

Os nossos pampas, antes percorridos por cavalos e carroças, agora recebem os vários avanços da mídia, com a criação de jornais e revistas, como é o caso do nosso jornal “Pampa Regional”, que contribuem para o entretenimento e informação.

Em contrapartida, sentimos um afastamento natural do relacionamento interpessoal. Os passatempos são tantos que, dentro de nossas casas criamos “ilhas” de lazer. Novamente, a televisão na sala, o computador no quarto, o celular na palma da mão. Na atualidade, os consultores espirituais, psicólogos virtuais, se apresentam em formas de letras em telas de cristal líquido, de uma simples máquina.

Qual será a solução?

O caminho é a perene adaptação à evolução humana. A única saída para a adequação futurística. Tentar manter uma relação pessoal benéfica no trabalho e no lar, além de utilizar as ferramentas modernas de forma gradual e salutar. Devemos saber que fugir da tecnologia, também será um escape da empatia adolescente.

Por fim, cabe ressaltar que, quando pudermos, temos que tirar os nossos entes queridos da frente das máquinas do presente, conduzindo-os para um passeio na praça ou andar de bicicleta. Essas lembranças vagas ficarão quase apagadas. Contudo, serão as reminiscências de um futuro feliz, saudável e promissor. Lembre-se disso!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Relação de Inscritos no I Concurso Literário da Casa do Poeta de Santiago

A Casa do Poeta de Santiago informa que o resultado do I Concurso Literário da Casa do Poeta de Santiago sairá no dia 13 de outubro de 2009, com a apresentação dos vencedores, ou seja, os três primeiros colocados de cada categoria. A entrega da premiação aos vencedores que se fizerem presentes será realizada no dia 28 de novembro de 2009, no Centro Cultural de Santiago. Os vencedores que não se fizerem presentes receberão a premiação, conforme as regras estipuladas, por intermédio do correio.
O resultado será publicado no site da casa do poeta e neste blog, no dia 13 de outubro de 2009.

A seguir a relação de inscritos, em ordem alfabética, na categoria POESIA - total de 55 (cinquenta e cinco) inscritos:
A seguir a relação de inscritos, em ordem alfabética, na categoria CONTOS - total de 51 (cinquenta e um) inscritos:
A seguir a relação de inscritos, em ordem alfabética, na categoria CRÔNICA- total de 15 (quinze) inscritos:
A diretoria da Casa do Poeta de Santiago agradece os participantes num total de 121 (Cento e vinte e um) e deseja boa sorte!
Caso você tenha realizado a inscrição e o seu nome não aparece na supracitada lista entre em contato pelo e-mail: secretaria@casadopoetadesantiago.com.br
Abraços e até mais!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Reunião com o Presidente do CILAM - II Encontro de Escritores do MERCOSUL / I Fórum Latino-Americano de Literatura

As atividades preparativas para o II Encontro dos Escritores do MERCOSUL / I FÓRUM LATINO-AMERICANO DE LITERATURA estão a pleno vapor. O evento ocorrerá nos dias 22 a 24 de janeiro de 2010, na cidade de Santiago, RS, numa parceria que envolve várias entidades da região.
No dia 11 de setembro de 2009, o Presidente da Casa do Poeta de Santiago, o Sr Carlos Giovani Delevati Pasini, reuniu-se com o Presidente do Centro de Integração Latino-Americano (CILAM), o Sr Mosar Costa, para tratar de um pré-contrato de parceria entre as duas entidades.
A Casa do Poeta de Santiago será a anfitriã da atividade cultural, cujo tema será "Propostas para o Desenvolvimento da Literatura Latino-Americana" e envolverá palestrantes da Argentina, do Brasil e do Uruguai.

Os participantes do encontro / fórum receberão um certificado de 25 (vinte e cinco) horas, fornecido pelas entidades CILAM - Casa do Poeta de Santiago. Além disso, poderão participar do debate, fornecendo idéias que serão registradas no documento histórico.

Participe deste evento! Sugira alguma idéia!

domingo, 13 de setembro de 2009

A voz dos Escritores - Entrevista Froilam de Oliveira

A Casa do Poeta de Santiago (http://www.casadopoetadesantiago.com.br/) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".
Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.



O nosso quarto entrevistado é o escritor FROILAM JOSÉ DE OLIVEIRA, 50 anos, natural de Santiago, RS. O Froilam é militar do Exército Brasileiro, colunista do Jornal Expresso Ilustrado, e excelente corretor ortográfico de Língua Portuguesa. Ele angariou um grande reconhecimento na região, em virtude de seus artigos, no supracitado semanário - alguns polêmicos - e por postar textos culturais no seu blog (www.froilamoliveira.blogspot.com). Particularmente, o conceito que tenho sobre as suas obras, principalmente os artigos, é que elas me fazem pensar, nem sempre concordando, é claro. Entretanto, dentro de uma sociedade democrática, as opiniões variam de uma pessoa para a outra. O que posso falar do Froilam é que ele possui uma opinião formada e usa dela para uma concatenação precisa, concisa e eficaz.

Quem quiser o contado com o autor poderá utilizar o e-mail: froilamo@bol.com.br

Vamos para outra grande entrevista!

1. O senhor já tem algum trabalho (livro, pesquisa, poesias etc.) publicado? Quais?

A partir do meu regresso a Santiago, em 1996, passei a publicar meus poemas e microensaios no jornal literário Letras Santiaguenses. Mais tarde, no semanário Folha Regional, assinei a coluna Metapoesia. Desde 2003, como colunista do Expresso Ilustrado, venho publicando crônicas e artigos de opinião. Em 2006, fiz minha estreia na Literatura com o livro Ponteiros de palavra. Há dois anos, tenho dado a conhecer meus escritos pela interface eletrônica, mais precisamente no blog “Contra .”, cujo endereço é www.froilamoliveira.blogspot.com

2. Com quantos anos o senhor começou a escrever? Por qual motivo?

Minha carreia literária tem duas fases distintas. A primeira, motivada pela paixão, iniciou-se aos 18 anos de idade (coincidindo com a maioridade, rsrs). A segunda, forçada pelo intelecto, ocorreu-me aos 27. Cartas e poemas apaixonados, na fase sentimental, romântica. Microensaios e aforismos (à nietzscheana), na fase racional, realista. Os poemas sobreviveram à transição de uma fase a outra, adequando-se à temática conceptual.

3. Como definiria o seu estilo? Gosta de escrever quais textos: contos, crônicas, poesias etc?

Meu estilo? Não posso definir meu estilo, uma vez que ainda o aperfeiçoo nos diversos gêneros que produzo. No poema, procuro a síntese, não me descuidando dos elementos que diferenciam a poesia da prosa. No artigo de opinião, busco a forma que julgo a mais adequada para expor o conteúdo.

4. Observamos que os seus textos (principalmente as crônicas) causam opiniões diversificadas – algumas a favor, outras contra – e, que independentemente do que o senso comum julga como certo, o senhor mantém o posicionamento. Como essa forma de escrever se construiu (e se constrói)?

Minha coluna no Expresso Ilustrado, Crítica e autocrítica, e meu blog, Contra ., são semelhantes no objetivo de suscitar o debate. Quando isso não ocorre, sinto-me um pouco frustrado, ora comigo mesmo, ora com o leitor. Às vezes, a forma (o significante) não é a mais apropriada para expor o conteúdo (significado).

5. Qual o seu próximo projeto? Algum livro que está trabalhando? Qual será o tema?

Outro livro de poemas. Está pronto, à espera da publicação. Título provisório: Espigas de luz. O tema é diverso, das estrelas aos recônditos da minha alma (não deixei de ser romântico).

6. Quais o(s) escritor(es) que o senhor gosta e aconselha aos leitores desta reportagem?

Leitor de Will Durant, filósofo e historiador norte-americano, que relacionou os cem melhores livros para uma educação completa, já montei uma biblioteca ideal, dividida em cinco estantes: poesia, prosa, filosofia, ciência e diversos. Poesia: Pablo Neruda, Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana, Carlos Nejar, Paulo Leminski e outros contemporâneos. Prosa: William Faulkner, Jorge Luis Borges, Guimarães Rosa, García Márquez, Cyro Martins, entre outros. Filosofia: Voltaire, B. Spinoza, E. Kant, F. Nietzsche, Bertrand Russel, J. Krishnamurti, entre outros. Ciência: C. Darwin, S. Freud (e pós-freudianos), Desmond Morris, Richard Dawkins, James Lovelock, entre outros. Diversos: Dicionário da língua portuguesa, Gramática da língua portuguesa, Tratado de versificação, Enciclopédia Britânica, almanaques, jornais, revistas, sites na Internet...

7. Qual o conselho que o senhor daria para quem está iniciando na escrita?

Ler, ler, ler... Ler vários autores no gênero em que o iniciante se aventura a produzir.

8. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem:

Caríssimos leitores, agradeço-lhes pelo tempo dedicado à leitura desta entrevista bem conduzida pela Casa do Poeta de Santiago. Muito obrigado a essa instituição cultural pela minha inclusão no projeto A voz dos escritores.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Uma cabeça sobre o meu peito...

Nós somos seres emotivos.
===
Passamos uma vida em altos e baixos,
felicidade e tristeza,
amor e raiva,
silêncio e falatório.
===
Brincamos numa gangorra,
de um lado e do outro
- lá estamos nós -
um pouco NO ALTO,
outro tanto no baixo,
variações de humores, amores, rumores, ardores, dores e odores...
O que nesse instante é importante,
amanhã não tem sentido.
Vou explicar...
===
Há pouco tempo atrás
eu estava cheio de problemas,
coisas "importantíssimas" para resolver.
===
Lá estava o Giovani Pasini
escritor que tenta ser escritor,
com sonhos de literatura,
sangue na literatura,
alma na literatura,
sono na literatura,
carne na literatura,
lágrimas na literatura,
baile na literatura,
sorrisos na literatura,
competência na literatura,
incompetência na literatura,
orgulho na literatura,
amor na literatura...
===
===
Até que a minha filha Amanda ficou doente.
Ela pegou uma gripe forte.
Na cama, pouco antes de irmos ao médico,
ela soltou a cabeça sobre o meu peito,
olhou-me nos olhos e disse, com voz fraca e suave:
- Pai...Me ajuda.
===
Naquele instante,
confesso,
passou a existir apenas o amor,
a carne,
o sangue,
as lágrimas,
o medo,
o carinho,
a vontade de correr pelas ruas...
===
Sim,
naquele instante não havia mais a literatura.
===
Ainda bem que minha filha está melhor.
Talvez seja o momento para refletir,
para, talvez, eu também possa ficar um pouco melhor...
===
Vamos pensar sobre isso?

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Pampa Regional II

Hoje recebi 4 exemplares do jornal Pampa Regional, do Lucas Figueira.
===
Após a leitura das 20 páginas, tenho algumas considerações:
1. Para o primeiro exemplar, julgo que atingiu os objetivos;
2. Fiquei impressionado com a qualidade do trabalho - julgo que muito boa;
3. A diagramação do Beto Menegat foi muito bem feita;
4. A equipe do Lucas Figueira e do Rafael Nemitz está de parabéns.
===
É óbvio que existirão alguns "profetas do apocalipse ortográfico" que irão colocar vários defeitos na obra.
Isso é bom.
A democracia serve para que possamos ter opiniões (contraditórias) e expressá-las.
===
Sou assinante do Expresso e da Folha. Só não leio (infelizmente) o Correio Regional.
Julgo que Santiago possui mercado para mais um periódico semanal.
Tudo em nome da cultura.
===
Acho que o jornal Pampa Regional tem muito que crescer - e espero que obtenha o sucesso.
A perfeição não ocorre da noite para o dia.
Existiram outros periódicos que levaram anos para atingir um elevado nível.
Vamos lembrar disso!
Não vamos cobrar o ápice na primeira edição.
===
Como amigo do Lucas Figueira terei sugestões para dar.
Acho que se o objetivo é ajudar, todos podemos.
Agora, sempre fui contra a crítica pela crítica.
Aquela que é apenas destrutiva, como arma para o fracasso.
Quem só age com criticidade, geralmente, só produz desdém e ironia.
===
Espero que os "analistas de marketing" realizem, no mínimo, uma análise dentro de um contexto.
===
Enfim, entre mortos e feridos, o saldo publicitário foi bastante positivo.
Na minha humilde opinião, é claro...

Desiderata

O texto a seguir, denomina-se DESIDERATA, do Latim Desideratu: Aquilo que se deseja, aspiração.
Segundo a internet o texto foi encontrado na velha Igreja de Saint Paul, Baltimore, datado de 1692 e foi citado no livro "Mensagens do Sanctum Celestial", do Fr. Raymond Bernard. O texto é de Max Ehrmannn e foi registrado pela primeira vez em 1927. Hoje em dia pertence à © Robert L. Bell.
Este texto foi importante na construção de minha personalidade, durante a minha juventude. Hoje, num momento difícil que passo em minha vida, resolvi resgatá-lo. Sempre o procuro, quando me sinto triste.
Não gosto de ficar passando mensagens extensas pela internet - aquelas que você quase nunca lê - mas se o leitor tiver um tempo, vale a pena degustar a mensagem.
Vou dividi-la em partes, para um melhor entendimento, mas saiba que o texto é um só.

===Desiderata===

"Siga tranqüilamente entre a inquietude e a pressa,
lembrando-se de que há sempre paz no silêncio.
===
Tanto quanto possível sem humilhar-se,
mantenha-se em harmonia com todos que o cercam.
===
Fale a sua verdade, clara e mansamente.
Escute a verdade dos outros, pois eles também têm a sua própria história.

===
Evite as pessoas agitadas e agressivas: elas afligem o nosso espírito.

===
Não se compare aos demais, olhando as pessoas como superiores ou inferiores a você: isso o tornaria superficial e amargo.
===
Viva intensamente os seus ideais e o que você já conseguiu realizar.
Mantenha o interesse no seu trabalho,
por mais humilde que seja,
ele é um verdadeiro tesouro na continua mudança dos tempos.

===
Seja prudente em tudo o que fizer, porque o mundo está cheio de armadilhas.
Mas não fique cego para o bem que sempre existe.

===
Em toda parte, a vida está cheia de heroísmo.
===
Seja você mesmo.

===
Sobretudo, não simule afeição e não transforme o amor numa brincadeira,
pois, no meio de tanta aridez, ele é perene como a relva.

===
Aceite, com carinho, o conselho dos mais velhos
e seja compreensivo com os impulsos inovadores da juventude.

===
Cultive a força do espírito e você estará preparado
para enfrentar as surpresas da sorte adversa.

===
Não se desespere com perigos imaginários:
muitos temores têm sua origem no cansaço e na solidão.

===
Ao lado de uma sadia disciplina conserve,
para consigo mesmo, uma imensa bondade.

===
Você é filho do universo, irmão das estrelas e árvores,
você merece estar aqui e, mesmo se você não pode perceber,
a terra e o universo vão cumprindo o seu destino.

===
Procure, pois, estar em paz com Deus,
seja qual for o nome que você lhe der.

===
No meio do seu trabalho e nas aspirações, na fatigante jornada pela vida,

conserve, no mais profundo do seu ser, a harmonia e a paz.
===
Acima de toda mesquinhez, falsidade e desengano,
o mundo ainda é bonito.

===
Caminhe com cuidado, faça tudo para ser feliz
e partilhe com os outros a sua felicidade".

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Jornal Pampa Regional - novo veículo de informação

Há pouco tempo, o amigo Lucas Pereira Figueira, convidou-me para participar de seu periódico (semanal), denominado Pampa Regional, como um dos seus colunistas fixos.
===
Inicialmente, já fiquei lisonjeado com tal convite.
Após pensar - por poucos instantes - resolvi aceitar o desafio.
Explico, aos leitores, os motivos de minha aceitação...
===
O primeiro deles é que adoro escrever. Desde os 12 anos tento ser um escritor...
===
O segundo motivo é o fato de confiar na pessoa de Lucas Pereira Figueira, um militar da reserva, com o qual tive a oportunidade de trabalhar por cerca de quatro anos e fiz uma amizade sincera.
===
A terceira razão tem relação com a segunda: por conhecer o indivíduo que está a frente de tal empreendimento, tenho a confiança de saber que seu jornal terá bastante profissionalismo, seriedade, além do empenho e excelente caráter que marcam a sua personalidade.
===
Por esses três motivos aplico o meu nome, sem receio, como parceria na iniciativa.
Tenho a total certeza que será mais um ótimo veículo de informação e de transmissão de cultura, para a cidade de Santiago (e região).
===
Gostaria de ressaltar que o trabalho que realizarei será feito por amor à escrita e sem qualquer tipo de remuneração.
Quem se dedica ao ato de escrever (ou ler) sabe o que estou falando...
===
Enfim, que o Lucas tenha sucesso na sua empresa e que o Jornal Pampa Regional adquira a confiança dos leitores de nossa região.
A minha opinião é a de que vale a pena conhecer o trabalho.
Até mais!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

A Voz dos Escritores - A terceira entrevista

A Casa do Poeta de Santiago (www.casadopoetadesantiago.com.br) lançou, no dia 24 de agosto de 2009, o projeto "A Voz dos Escritores" que visa entrevistar escritores de Santiago e região, difundindo através da internet o seu trabalho e opiniões. Este projeto possui a intenção de lançar no blog do Giovani Pasini, no site e no orkut da Casa do Poeta de Santiago, todas as segundas-feiras, uma matéria sobre os autores locais, contribuindo, assim, com o epíteto "Santiago: Terra dos Poetas".
Se o leitor tiver alguma idéia, sugestões de entrevistados, poderá enviar para os seguintes e-mails:gpasini@ig.com.br e secretaria@casadopoetadesantiago.com.br.


O nosso terceiro entrevistado é o escritor e colunista MÁRCIO BRASIL, 29 anos, natural de Santiago, RS. O Márcio Brasil é jornalista do Jornal Expresso Ilustrado e tornou-se reconhecido por seus artigos que retratam, de forma explêndida, o cotidiano do ser humano e, principalmente, dos santiaguenses (e da região).
Já teve participações no teatro, na música, faz parte da Juventude com Atitude e da Casa do Poeta de Santiago, sendo, portanto, multifacetado.
A entrevista concedida para a Casa do Poeta, no dia 06 de setembro, serve de reflexão para todos os leitores, blogueiros e para quem tenta ser um escritor.
Como era de se esperar, observa-se uma sinceridade imensa em suas respostas.
Aprenda com mais um escritor da "Terra dos Poetas"!


1. Você já tem algum trabalho (livro, pesquisa, poesias etc.) publicado? Quais?

Desde 2001, tenho o privilégio de publicar uma coluna no jornal Expresso Ilustrado, onde trabalho desde 1999. Inicialmente, meus escritos eram mais na linha crítica político-social. Porém, não é uma coisa que eu faça bem, pois quando critico acabo sendo pesado demais. E quando elogio, rasgo seda. Mesmo que isso não signifique amar ou odiar, mas simplesmente manifestar um pensamento.

Porém, essa coisa de intensidade não é muito bem compreendida na maioria das vezes. Às vezes, sem querer a gente atinge as pessoas e isso é ruim. A palavra pode ferir, então, é melhor tomar cuidado com essa arma e usá-la de forma mais construtiva. Escrevi várias coisas das quais me arrependi, mas não as apaguei de minha história, porque apagar os erros da memória é como apagar o aprendizado que se tirou daquilo.

Em 2004, passei a escrever mais na linha de crônicas e contos, que é algo que gosto e faço desde que tinha meus 15 anos. Publiquei vários textos também no jornal Letras Santiaguenses. Em 2008, tive a honra de ter um livro publicado pelo projeto literário Santiago do Boqueirão, seus Poetas, quem São, coordenado pelo curso de Letras da URI, através da professora Rosane Vontobel Rodrigues. E tenho um livro aqui de contos e crônicas, pronto e encaixotado e que jamais lançarei, pois foi feito às pressas e atropelado pela CORAG, sem registro ISBN, índice, correção etc. Seria um desserviço à literatura lançar uma obra assim. Talvez em 2010, eu lance um livro nos moldes que eu quero e pense que possa ter algum valor.

2. Observamos nas suas crônicas e textos uma grande compreensão do cotidiano, com a reflexão sobre aspectos existencialistas? Qual o motivo, que você acha, levou-o a escrever desta forma?

Sinceramente, não sei dizer. Penso que qualquer obra fala por si só, sendo desnecessário descrevê-la. E, em verdade, o trabalho de escrever é uma metade de um texto, um livro. A outra metade será completada pela imaginação do leitor. Não sei se tenho uma compreensão do cotidiano, apenas escrevo. Na verdade, transcrevo muitas coisas que vivi, que percebi ou observei. A inspiração pode vir do cotidiano, de uma música, de uma frase etc. Não tenho uma fórmula específica. Gosto de experimentar gêneros e tipos. Já escrevi histórias de amor, comédia, drama, romance, terror e até sexo. Escrever é como desnudar os seus sentimentos.

3. Qual a frase – extrato – que você mais gostou de escrever e sentiu-se orgulhoso ao ler o resultado? Transcreva-a para nós.

Há textos que escrevi e que tenho satisfação de tê-los recebido. Há outros que dá pavor reler. Mas um dos contos que mais gostei de ter escrito foi “O Filho do Super-Homem”, entre outros. Nem tudo publico no jornal, há textos que jamais foram publicados, mas que estão em meu blog. Uma frase que gostei de ter escrito foi “O melhor da vida são as pequenas coisas. As grandiosas geralmente são insignificantes”. Realmente penso assim, que a felicidade é feita de instante a instante e que os amigos são dádivas da vida. Acho que vivenciar a felicidade que se apresenta no agora é estar em paz. É que a gente aprende a se prender ao passado (mágoas, alegrias passadas etc) e fica projetando o futuro, sonhos etc, deixando de viver o que existe agora, que é o presente. Se morresse hoje ou amanhã, beleza, agradeço pelo tempo vivido e pelo aprendizado que tive, ao lado de pessoas magníficas que pude conhecer, que são os amigos.

4. Com quantos anos você começou a escrever? Por qual motivo?

Antes de aprender a ler, eu gostava de folhear as revistas em quadrinhos e ficar imaginando as histórias. Ficava “lendo” as figuras em voz alta e contando a história, segundo o que eu compreendia das figuras. Depois que aprendi a ler, seguia fazendo o mesmo (lendo em voz alta), porém, descrevendo o que estava roteirizado nas páginas. Até que alguém me disse que eu devia aprender a “ler só para mim”, só na mente. As histórias em quadrinhos despertaram o gosto pela leitura também de livros e me fez ter vontade de criar as minhas próprias histórias. Quando escrevia redações no colégio, minha querida professora Sofia Lopes Brum me incentiva muito a escrever. E assim fui.

5. Qual o seu próximo projeto? Algum livro que você está trabalhando? Qual será o tema?

Talvez eu lance um livro no ano que vem, talvez não. Por ora, eu gosto de escrever e publico muita coisa em meu blog. Hoje em dia é fácil lançar um livro, com acabamento de luxo e tudo o mais, o que não significa que o resultado deva ser exaltado. Todo aquele que fica se gabando de que escreveu algo maravilhoso, que todo mundo deveria ler e que mudará a vida de muita gente, é um imbecil. Penso que a arte fala por si, sendo desnecessário explicações a respeito dela, especialmente vinda do próprio autor. Só o leitor é que pode apresentar uma apreciação honesta nesse sentido e a única válida.

Não estou trabalhando em nenhum livro, mas quando vier a lançar, será da caixa para a prateleira, pois não tenho a pretensão de que um possível livro seja lido por milhares ou milhões. Me interessa mais que as pessoas leiam algo que escrevi e que aquilo as ajude de alguma forma ou, nem que seja, as distraia por dois minutos. O Caio Fernando Abreu costumava dizer que a literatura só era boa se ela servia para tornar um pouquinho melhor a vida das pessoas, nem que fosse por um instante.

6.Quais o(s) escritor(es) que você gosta e aconselha aos leitores desta reportagem?

Alguns escritores que gosto: Moacyr Scliar, Luis Fernando Veríssimo, Érico Veríssimo, Martha Medeiros, Neil Gailman, Alan Moore, Isaac Azimov, José Saramago, Mário Quintana, Carlos Drummond de Andrade e Caio Fernando Abreu. Pensando em termos locais, há escritores nossos, de Santiago, que gosto do estilo: Alessandro Reiffer, Oracy Dornelles, Carlos Humberto Aquino Frota, Erilaine Perez, Nívia Andres, Júlio Prates, Lise Fank e Therezinha Lucas Tusi.

7. Qual o conselho que você daria para quem está iniciando na escrita?

Não existe escrita sem leitura, portanto quem tiver a vontade de escrever o que pensa, deve em princípio ler o que outros já pensaram e escreveram. Não vou aqui dizer que a pessoa deve ler esse ou aquele escritor, mas precisa buscar o que lhe agrada. Algumas vezes que tive a oportunidade de conversar com estudantes, lhes pergunto se gostam de ler e respondem que não. Quando pergunto o porquê, respondem: é muito chato ler. Aí, insisto: vocês não gostam de ler Machado de Assis ou José de Alencar, é isso? A resposta: sim. É muito chato. Aí, pergunto: e que tal ler Harry Potter ou Crepúsculo? Aí, quase todo mundo é de acordo. Querem ler, sim. Ou seja, a gente precisa parar de dar “receitas de livro” deste ou daquele autor. É preciso perceber o tipo de leitura que mais agrade uma pessoa e incentivá-la deste modo. Se ela despertar o hábito de ler, vai acabar buscando outras obras e autores. O que serve para mim, não quer dizer que sirva para outro.

8. Utilize este espaço para falar o que quiser para os leitores da reportagem:

Creio que a nossa cidade de Santiago está começando a despertar sua identidade cultural. E contribuem para isso, o curso de Letras da URI, através de seu projeto Santiago do Boqueirão, seus Poetas, quem são?; o jornal literário Letras Santiaguenses; a Casa do Poeta de Santiago; a Prefeitura. Nesse aspecto, também cito alguns blogueiros mais engajados pela valorização da cultura como Nívia Andrés, Giovani Pasini, Lígia Rosso, Froilam Oliveira, Erilaine Perez, Alessandro Reiffer e Marcus Vinícius, que dedicam maiores atenções às atividades culturais. Com relação à Casa do Poeta, penso que é uma iniciativa nobre e que merece conquistar mais projeção, ter apoio político e empresarial etc, pois o que será plantado terá grande significado para a consolidação de nossa cidade e região. Penso também que temos aí na obra do Caio Fernando Abreu um legado a ser valorizado. Santiago precisa compreender quem foi e o que significou o Caio, que era um escritor de dimensão universal. Em 2007, quando trabalhava na Câmara de Vereadores, eu sugeri que o prédio que existe ao lado fosse restaurado para a construção de um auditório multicultural e que ganhasse o nome do Caio F. Abreu. Graças a Deus, essa sugestão foi apreciada assim nesses moldes e essa construção deve acontecer. Será uma justa homenagem ao Caio. E ter contribuído com essa ideia foi algo que me deixou feliz. Acho que devemos, sim, valorizar mais o que é nosso (Caio, Oracy Dornelles), do que ficar glorificando escritores que só tem importância da ponte do Rosário para cá.

9. Como o leitor pode entrar em contato com você (e-mail, blog, site etc.)?

Eu utilizo bastante da mídia digital para escrever o que penso e sinto.

Meu blog é http://www.marciobrasil7.blogspot.com.

Página no Twitter- http://www.twitter.com/MarcioBrasil

MSN/E-mail- mbrasil7@hotmail.com

Recanto das Letras- http://recantodasletras.uol.com.br/autores/marciobrasil

Um abraço e agradeço ao amigo Giovani Pasini, presidente da Casa do Poeta, por ter lembrado de meu nome para participar deste espaço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...