domingo, 26 de julho de 2009

Relembrando o passado - Reportagem da Prefeitura Municipal no blog do Rafael Nemitz

Ao ler a reportagem do Rafael Nemitz sobre o centro cultural que estará sendo criado na antiga estação ferroviária, tive que recordar a minha infância.
Em 1988, eu e meus amigos Juliano Camargo, Émerson Carmo, Ézio Andres (infelizmente falecido) estudávamos no Apolinário Porto Alegre e, seguidamente, descíamos até a estação para brincar.
O Juliano morava no bequinho do INPS, o Emerson na Vila Itú, o Ézio na Vila Nova e eu residia perto da Ponte Seca, na Rua Tito Beccon.
Os nossos anjos da guarda tinham muito trabalho, pois percorríamos o alto dos vagões da RFFSA, saltando um a um. Outras vezes descíamos em direção à casa do Émerson e cortávamos a junção dos vagões, sem medo que eles andassem.
A aventura mais louca que eu e o Ézio fizemos foi subir na torre do vigia, que fica entre a estação e a rua que desce para a URI.
Entretanto, a visão mais aterradora que tive, mais assustadora para a mente de uma criança, foi quando consegui entrar na empoeirada estação ferroviária de Santiago. Atravessei a porta semi-caída, junto dos amigos Juliano e Émerson. Do outro lado, ainda existia o guichê com suas grades de ferro. Era o palco interessante para histórias de terror. De repente, ouvimos um barulho no andar de cima e saímos correndo em disparada, com medo do fantasma que possivelmente era um vigia.
Tempos depois, no ano de 2006, estava passeando com o avô de minha esposa, o Dirceu Amarante, que na época tinha 80 anos. Ele mostrou o lugar onde era o supermercado dos ferroviários, o hotel e o que havia sido a principal Rua de Santiago (aquela que desce, com um canteiro no meio).
Na época fiquei triste com tal abandono. Juro que pensei: "Bem que Santiago poderia aproveitar para colocar o museu, teatro e qualquer tipo de cultura aí."
Ainda bem que outras pessoas também pensam. E até bem melhor que a gente...
A reportagem do Rafael me fez andar pelo passado, em uma cascata de lembranças.
Fico feliz com esse projeto...
Até mais!

2 comentários:

  1. Só para corrigir, amigo Giovani, com a liberdade de nossa amizade: a reportagem em questão é do site da Prefeitura de Santiago.

    Outra coisa: eu enviei meu texto para a próxima edição do Letras Santiaguenses. Sabes me dizer se outros integrantes da Casa do Poeta o fizeram?

    Em quantas inscrições já conta o concurso literário?

    Um fraterno abraço!

    ResponderExcluir
  2. Ah, Giovani. Cafezinho agora só dia 20 de agosto? Que longa espera! De qualquer forma, vamos seguir mantendo contato. Nesta sexta-feira, vou publicar mais um chamamento sobre o concurso literário. Tem alguma novidade?

    Fraterno abraço!

    Ah, valeu!

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar o seu comentário neste blog.
Agradeço o tempo investido nesta comunicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...