sábado, 16 de junho de 2018

Artigo Jornal Expresso Ilustrado, 15 de junho de 2018 - Caminhoneiros e Panelas


Caminhoneiros e panelas

A greve dos caminhoneiros fez o Brasil parar. Enquanto se dizia que era um protesto de motoristas, a imprensa estava favorável. Depois, quando surgiu o comentário do apoio de empresários, tudo mudou. (Rumores de que se tratava de um locaute). Na realidade, por 10 dias tudo parou, menos a ideologia. A televisão passou a atacar o movimento, pois já não era uma atividade de populares, mas de burgueses maus. Sinceramente, isso não interessa em nada. Os caminhoneiros e os empresários só fazem é expressar um desagrado popular, do povo, que não é composto de classe única. O povo é o povo, morando em favela ou não; nisso Marx é o ópio do novo. O que devemos perceber é que a insatisfação dos brasileiros vem crescendo feito bactérias, dia a dia, numa contaminação que ameaça a saúde da própria democracia. Radicalismo. Falo do espectro negro que recai sobre a classe política, tão necessária a qualquer nação. Sim, os políticos são essenciais.

A sua raiva, leitor, pode estar alocada sobre uma determinada figura pública, um governante, mas ela explode devido a centenas ou milhares de crápulas que representam o que nós mesmo somos: um Brasil que não respeita a autoridade, que cultua a violência e que está habituado à impunidade. Os caminhoneiros e os empresários estão certos e errados. Corretos, pois o ódio no peito e os impostos excessivos nos fazem parar. Equivocados, contudo, pois no meio deles e de nós, dentro da notícia, nas entrelinhas de acordos e reivindicações, com certeza existem os interesseiros casuísticos que perpetuarão a pátria carcomida por uma ferrugem originária num péssimo hábito, o do “jeitinho brasileiro”. Uma panela que deveria ser batida na nossa própria cabeça. 

sábado, 9 de junho de 2018

Aprender!


Palestra em CRUZ ALTA - RS



Atenção CRUZ ALTA, RS - palestra "A Segurança Pública e a Educação: problemas e soluções para o Rio Grande". 

Dia 16 de julho, segunda, 19h, no Clube Internacional de Cruz Alta (salão térreo).

Apoio e divulgação: Academia Internacional de Artes, Letras e Ciências (ALPAS XXI). 

Reserve por whatsapp (91) 991996777 ou por e-mail: professorpasini@gmail.com - Certificado digital gratuito de 5h!

Veja mais e reserve sua vaga na fanpage: 
https://www.facebook.com/events/2102000990082682/

sábado, 2 de junho de 2018

Palestra em Santiago: educação e segurança pública - 16 de julho de 2018



Atenção SANTIAGO, RS - palestra "A Segurança Pública e a Educação: problemas e soluções para o Rio Grande". 

Dia 11 de julho, quarta, 19h, no auditório do Centro Empresarial. Inscrições limitadas e gratuitas. 

Apoio e divulgação: Casa do Poeta de Santiago, Academia Santiaguense de Letras e Associação dos Oficiais da Reserva da Guarnição de Santiago. 

Reserve por whatsapp (91) 991996777 ou por e-mail: professorpasini@gmail.com - Certificado digital gratuito de 5h!

Veja mais e reserve sua vaga na fanpage: 



domingo, 27 de maio de 2018

Por quê assumir novos desafios?


Por quê assumir novos desafios?

Em 1998, na foto, aos 23 anos, eu era promovido a 2º Tenente do Exército. Na época, eu servia no 19º Grupo de Artilharia de Campanha, em Santiago, RS. Quem colocou a nova divisa foi o Tenente Coronel José Eugênio Kopp Jantsch, então Comandante do Grupo.
Cerca de 20 anos se passaram... Hoje eu sou Tenente Coronel do Exército e estou assumindo um desafio muito maior do que eu possa abraçar. Tenho a coragem caudilha correndo no sangue.

Por quê eu faço isso?
Amor pela minha terra e pelo meu Brasil. Amor pela educação, pela cultura e, principalmente, pela vida. Quero tentar fazer alguma diferença!

Acho que o que está aí tem que mudar!

Espero ter a confiança de meu povo. 
A única coisa que prometo é trabalho e honra. Estou disposto a entrar e sair com a honestidade do caráter.

Conto com o seu apoio, caro leitor!
Mais do que o seu apoio, preciso do seu empenho. De seu envolvimento para podermos trabalhar nas causas expostas em:

terça-feira, 22 de maio de 2018

sábado, 19 de maio de 2018

Artigo do Jornal Expresso Ilustrado - 18 de maio de 2018 - AGRONEGÓCIO E FAMÍLIA. Vamos fortalecer o Rio Grande!



Agronegócio e família

Nós gaúchos não podemos deixar de assumir uma posição favorável ao agronegócio, especialmente de apoio aos pequenos e médios produtores rurais. O agronegócio, no Brasil, tem uma participação fundamental para a economia, representando mais de 20% do Produto Interno Bruto. O PIB significa a soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais do país. Desse total, o RS possui enorme contribuição, sendo um dos maiores produtores. As preocupações ambientais são fundamentais para a preservação da humanidade. Entretanto, ter a alimentação na mesa, no dia a dia, é algo mais urgente. O campo gera inúmeros empregos e, na média mundial, estamos (RS) com uma preservação ambiental bem acima da média. A realidade é que os produtores rurais estão sofrendo uma espécie de “terrorismo” de diversos lados: abigeatos, impostos altíssimos, vandalismo agrário de movimentos sociais improdutivos, ambientalismo radical, imprensa ofensiva e, de maneira geral, falta de reconhecimento.  Volto a fazer questionamentos, que já fiz há alguns anos: quais são os verdadeiros motivos, escusos, que tornaram os agronegócios como alvo preferencial de ataques políticos, da imprensa e de organizações não-governamentais? O que há de interesse por trás dessas ações? Concordo que devemos defender o meio ambiente, mas a produção de alimentos não é um caminho para acabar com a fome mundial, morte de humanos? E o turismo rural, a pecuária e a agricultura familiar? A bancada ruralista no congresso deve possuir uma conotação positiva, entenda o que digo, sinônimo de representantes de um grupo composto, na maioria, por pequenos produtores: famílias oprimidas e trabalhadoras. Essas são os verdadeiros pulmões do Rio Grande.

30 segundos: valorização do professor - Vídeo 1

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Capacitação para a criação do Colégio Militar da Polícia Militar do Pará (Colégio Militar do Rio Tocantins - CMRIO)

Nos dias 15 e 16 de maio de 2018, Giovani Delevati Pasini participou da formação de professores e de profissionais de gestão da educação para a criação do Colégio Militar da Polícia Militar do Pará, que acontecerá em Marabá, PA, ainda em 2018. Na oportunidade foram debatidos assuntos de Gestão Escolar, Projeto Pedagógico do SCMB, Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), avaliações de aprendizagem no Sistema e Orientação Educacional e Psicopedagógica. A escola de Marabá será chamada de Colégio Militar do Rio Tocantins (CMRIO) e possivelmente terá os seus trabalhos iniciados em agosto do corrente ano. 


Na foto em destaque, da esquerda para direita: Maj Guerra (PM/PA), Hellen Souza (Diretora da Escola), Luciano Dias (Secretário de Educação de Marabá, PA), Ten Cel Pasini (CMBel) e Ten Cel Carmo (PM/PA). 

sábado, 12 de maio de 2018

Envie um "Zap" e apoie a proposta!



Envie um "Zap" com seu NOME e CIDADE, apoie a iniciativa e saiba mais.

                           Whatsapp: 91 991996777
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...